"O Pássaro de Fogo" de Gustavo Dudamel inspira Festival de Salzburgo

"O Pássaro de Fogo" de Gustavo Dudamel inspira Festival de Salzburgo
Direitos de autor  euronews
De  Katharina Rabillon

Um mundo mágico, com fogos-de-artifício rítmicos e cores sonoras cintilantes para celebrar o centésimo aniversário do Festival de Salzburgo. Para assinalar a data o maestro Gustavo Dudamel conduziu a Orquestra Filarmónica de Viena numa viagem empolgante pelo balé de Igor Stravinski "O Pássaro de Fogo."

"É uma peça que é uma parte muito importante da minha alma musical", sublinhou, em entrevista à Euronews, o maestro venezuelano.

Composto para a companhia de balé "Ballets Russes", o balé foi apresentado pela primeira vez em 1910 e tornou Stravinsky famoso.

Baseado nos contos populares russos, conta a história do príncipe Ivan e de um pássaro mágico de ouro e fogo, com plumas cintilantes, que oferece tanto bênçãos como a perdição para aquele que o captura. Um presente único para marcar um século de existência do Festival de Salzburgo.

O festival e a Orquestra Filarmónica de Viena partilham um laço único. Desde o início da década de 1920 que a orquestra passou a residência de verão para a cidade austríaca, moldando a identidade musical do festival.

"O Festival de Salzburgo é um pilar muito importante na nossa residência artística. Aqui conhecemos alguns dos maiores maestros como Arturo Toscanini ou Pierre Boulez. Trata-se de uma experiência artística incrivelmente enriquecedora", sublinhou Daniel Froschauer, presidente da Orquestra Filarmónica de Viena.

O Festival de Salzburgo decorreu entre 18 e 30 de agosto. A exposição "Great World Theatre - The Salzburg Centenary" cruza o passado, presente e futuro do festival. Pode ser visitada no Museu de Salzburgo, até 31 outubro do ano que vem.