EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Merkel, Renzi e Hollande discutem futuro da Europa pós-Brexit

Merkel, Renzi e Hollande discutem futuro da Europa pós-Brexit
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Os líderes da Alemanha, Itália e França fazem uma "minicimeira" na ilha italiana de Ventotene.

PUBLICIDADE

Como vai ser a Europa depois do Brexit – É uma questão a que tentaram responder os líderes políticos das três maiores economias da Europa continental, numa altura em que a onda migratória e o antiterrorismo são os maiores desafios que o continente enfrenta.

Matteo Renzi, primeiro-ministro de Itália, François Hollande, presidente francês, e Angela Merkel, chanceler da Alemanha, encontram-se na ilha italiana de Ventotene, que foi em tempos uma fortaleza para os presos políticos, para discussões a três.

“Muitos pensavam que a Europa acabasse depois do Brexit. Não é verdade. Respeitamos a escolha dos cidadãos britânicos, mas queremos escrever uma página de futuro. Por isso, a segurança interna, a segurança externa e a luta por uma defesa comum, a colaboração entre serviços secretos, a maior integração das indústrias nacionais de defesa e o projeto da Comunidade Europeia de Segurança são prioridades absolutas”, disse Renzi.

Esta “minicimeira” acontece antes da cimeira de Bratislava, a primeira dos 28 Estados-membros depois do referendo britânico. Foi uma ocasião de homenagear Altiero Spinelli, resistente antifascista italiano, um dos criadores da ideia que viria a transformar-se na União Europeia.

Omaggio a Spinelli #Ventotene #italia #francia #germania

A photo posted by Nomfup (@nomfup) on Aug 22, 2016 at 8:20am PDT

Outra das ideias conjuntas dos três líderes é o alargamento do programa de intercâmbio de estudantes Erasmus, que celebra agora 30 anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Discurso de Macron: as reações dos estudantes

Breves de Bruxelas: triunvirato reflete sobre projeto europeu

Eric Ciotti expulso do partido conservador francês por se ter aliado à extrema-direita