Al-Assad não tem futuro político na Síria, diz União Europeia

Al-Assad não tem futuro político na Síria, diz União Europeia
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A União Europeia considera que o Presidente Bashar al-Assad deve ser afastado da cena política na Síria. A posição foi clarificada, esta segunda-feira, numa reunião dos chefes da diplomacia europeia,

A União Europeia considera que o Presidente Bashar al-Assad deve ser afastado da cena política na Síria, embora a decisão final pertença às partes interessadas que negoceiam um acordo de paz.

PUBLICIDADE

A posição foi clarificada, esta segunda-feira, numa reunião dos chefes da diplomacia europeia, liderada pela Alta-Representante para a Política Externa e Segurança.

Federica Mogherini disse que “a União Europeia considera que será impossível voltar a uma situação na Síria semelhante à que se vivia há sete anos. Depois de seis anos e meio de guerra, parece ser completamente irrealista acreditar que o futuro da Síria será exatamente o mesmo que costumava ser no passado”.

Esta posição evidencia um afastamento face ao que é defendido pelos Estados Unidos, confirmado pelo representante alemão.

Sigmar Gabriel disse que “o processo político, que no final deverá conduzir à saída de Bashar Al-Assad da Presidência da Síria e implicar uma reforma eleitoral e constitucional, eleições e um processo de reconciliação dentro do país, é um processo que não deve ser posto de lado”.

“Clarifico isto para o caso de alguns argumentarem que os terroristas são um inimigo pior e que, se necessário, se deve trabalhar com Assad e seu regime, incluindo a possibilidade de ele controlar áreas que foram libertadas dos terroristas”, acrescentou o vice-chanceler e ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha.

A nova administração norte-americana considera prioritário combater os extremistas islâmicos do Daesh e poderá colocar em segundo plano a mudança do regime sírio.

A clarificação da posição da União Europeia surge dois dias antes de organizar uma conferência internacional, em Bruxelas, para analisar as necessidades de ajuda humanitária ao povo sírio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Estado da União": Itália volta a colocar migração no centro do debate europeu

Migração: UE transfere 127 milhões de euros para a Tunísia

Litígio Polónia-Ucrânia abre crise na política de solidariedade da UE