EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Brexit: May não avança valor, mas diz que pagará a "fatura"

Brexit: May não avança valor, mas diz que pagará a "fatura"
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva com LUSA
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A primeira-ministra britânica, Theresa May recusa-se a revelar qual é o montante que o governo do Reino Unido vai pagar para sair da União Europeia, um dos pontos que tem impedido concluir o chamado acordo de divórcio para o Brexit.

PUBLICIDADE

A primeira-ministra britânica, Theresa May recusa-se a revelar qual é o montante que o governo do Reino Unido vai pagar para sair da União Europeia, um dos pontos que tem impedido concluir o chamado acordo de divórcio para o Brexit.

Algumas estimativas apontam para os 60 mil milhões de euros.

“O que deixei claro aos meus homólogos na UE, naquilo que respeita à contribuição financeira, é o mesmo que disse no meu discurso de Florença, ou seja, que ninguém precisa de se preocupar com o plano de orçamento em vigor”, disse a primeira-ministra britânica, na conferência de imprensa após participar na cimeira em Bruxelas, sexta-feira.

“Nenhum país vai ter de pagar mais, ou receber menos, em resultado da saída do Reino Unido porque cumpriremos os compromissos que assumimos enquanto formos membros”, acrescentou Theresa May.

Theresa May says UK examining Brexit divorce bill ‘line by line’ https://t.co/hDaBq6XowP

— The Guardian (@guardian) October 20, 2017

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou que os restantes 27 países vão começar a preparar, a nível interno, a segunda fase das negociações do Brexit, sobre um eventual acordo comercial UE-Reino Unido.

Mas uma decisão formal só será tomada na cimeira de dezembro se, entretanto, forem fechados os dossiês sobre os direitos dos cidadãos, a fronteira na Irlanda e os compromissos financeiros.

Merkel says Britain must move on #Brexit bill to break deadlock https://t.co/9X4hbJAL9o

— Alastair Macdonald (@macdonaldrtr) October 20, 2017

Donald Tusk sublinhou que os relatos sobre um bloqueio nas negociações do ‘Brexit’ “foram exagerados”, dizendo que os progressos são insuficientes, mas não inexistentes.

“Precisamos de uma narrativa mais positiva”, disse, ainda.

Por seu lado, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, sublinhou ter usado quatro vezes o termo ‘bloqueio’ e adiantou que ninguém sabe explicar detalhadamente o que significa um “não acordo”.

“Queremos um acordo justo e equilibrado com o Reino Unido”, salientou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da Argentina recebe medalha de ouro em Madrid, sem direito a honras de Estado

Barcelona vai acabar com o Alojamento Local. Em Portugal, medidas do “Mais Habitação” são revogadas

Chuvas recorrentes encharcam flores e dificultam produção de mel em França