EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Protestos contra dissolução pelo governo de grupo ecologista que promete resistir

Manifestantes solidários com o grupo "Soulèvements de la Terre"
Manifestantes solidários com o grupo "Soulèvements de la Terre" Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O executivo francês acusa o grupo "Soulèvements de la Terre" de apelar e recorrer à violência. Ecologistas já anunciaram a resposta à sanção

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas protestaram por toda a França contra decisão do governo de dissolver o grupo ecologista "Soulèvements de la Terre" ("Tremores de Terra", em tradução livre), que nos últimos meses tem dado que falar em diversos atos de revolta em nome do ambiente.

O governo francês decidiu dissolver o grupo em Conselho de Ministros, acusando-o de “apelar” e participar” em atos violentos. A decisão foi de pronto criticada pela esquerda e pelo próprio grupo ecologista, mas o porta-voz do executivo reiterou a decisão.

"Não é a liberdade de expressão nem o direito à manifestação que estão em causa. Não estamos a sancionar ideias. É o repetido recurso à violência contra bens e as pessoas, recorrente em diversas ocasiões nas últimas semanas", explicou Olivier Véran.

O próprio ministro do Interior, Gérald Darmanin, aproveitou um incidente em Toulouse, onde o autarca local foi agredido durante os protestos de apoio ao grupo ecologista, para uma vez mais sublinhar que "o recurso à violência não pode ser tolerado em República"

Os advogados do grupo vão recorrer contra a dissolução decretada, alegando que o governo "não tem base legal" para tomar aquela decisão "nem está a respeitar liberdades fundamentais".

Além de que defendem tratar-se "não de um grupo, mas de um movimento horizontal, e que, por isso, não pode ser dissolvido".

"O que cresce por todo o lado não pode ser dissolvido. Não se dissolve uma revolta", respondeu o próprio grupo pelas redes sociais, logo após a decisão, apelando a protestos por toda a França e prometendo resistir à sanção do governo.

"Não nos vamos deixar intimidar pela dissolução administrativa nem pela aplicação dos meios da polícia antiterrorismo contra nós", avisou, no protesto em Paris, Basile Dutertre, o porta-voz do grupo "Soulèvements de la Terre".

O movimento criado em 2021 apresenta-se como um grupo de jovens revoltados pela catástrofe ecológica em curso, tem mantido um braço de ferro com o governo há meses e, esta quarta-feira em Paris, contou com o apoio da ativista ambiental sueca Greta Thunberg.

Outras fontes • AFP

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Banco Mundial pondera suspender dívida de países pobres na cimeira de Paris

PP reúne milhares em Madrid contra Pedro Sánchez no lançamento da campanha para as europeias

PM palestiniano quer "vaga" de países a reconhecer o Estado da Palestina