EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Droga: Colômbia garante à UE que faz a sua parte, mas precisa de mais apoio

O fentanil é uma das drogas recentes que mais preocupa as autoridades
O fentanil é uma das drogas recentes que mais preocupa as autoridades Direitos de autor Jessica Christian/**MANDATORY CREDIT FOR PHOTOG AND SF CHRONICLE/NO SALES/MAGS OUT/TV
Direitos de autor Jessica Christian/**MANDATORY CREDIT FOR PHOTOG AND SF CHRONICLE/NO SALES/MAGS OUT/TV
De  Christopher PitchersIsabel Marques da Silva
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A comissária europeia dos Assuntos Internos, Ylva Johansson, presidiu com o Ministro da Defesa Nacional da Colômbia, Iván Velásquez Gómez, ao segundo Diálogo UE-Colômbia sobre a Droga, sexta-feira, em Bruxelas. O governante colombiano garantiu à UE que faz a sua parte mas precisa de mais apoio.

PUBLICIDADE

Na luta contra o tráfico de droga, União Europeia (UE) e Colômbia analisaram a evolução recente das políticas e pretendem reforçar a cooperação em matéria do combate ao fornecimento e aos efeitos nocivos da droga. 

Os debate abordou, igualmente, o impacto do cultivo de culturas ilícitas e da transformação de drogas ao nível do meio ambiente e de partes mais vulneráveis na sociedade, nomeadamente as mulheres.

O ministro colombiano, Iván Velásquez Gómez, realçou que a UE pode fazer mais: "O que estamos a fazer é trabalhar para evitar que a cocaína chegue até vós, aqui, no vosso continente. Mas, ao mesmo tempo, também gostaríamos de ver medidas a serem tomadas para garantir que, uma vez que estamos a tentar controlar a oferta, os países consumidores devem tentar controlar e reduzir a procura."

Uma das principais preocupações dos governos europeus é o aumento da violência ligada ao tráfico de droga. Houve uma série de casos de alto nível, no ano passado, incluindo a morte de uma menina de 11 anos num tiroteio relacionado com tráfico de droga.

O problema do fentanil

Mas há um novo fator de muita preocupação: o fentanil. Este opiáceo sintético, que se calcula ser 50 vezes mais forte do que a heroína, foi identificado pela UE como sendo de alto risco.

A Comissão Europeia está a desenhar uma estratégia de combate, disse Ylva Johansson: "Os Estados-membros precisam de atualizações e de informações mais ou menos em tempo real sobre a avaliação da evolução da situação, para poderem detetar o fentanil e fazer a prevenção". 

"Esta é uma tarefa no novo mandato da Agência Europeia de Drogas e também duplicámos os recursos para a Agência Europeia de Drogas", explicou a comissária.

Os últimos dados de 2021 mostram que houve 137 mortes na UE relacionadas com o consumo de fentanil, mas a Comissária dos Assuntos Internos diz que espera que este número aumente nos próximos anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autoridades europeias desmantelam vasta rede de tráfico de drogas

Observatório alerta para maior circulação de drogas na Europa

Apreensão de drogas recorde em Itália