EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Espanhola Nadia Calviño é a nova presidente do Banco Europeu de Investimento

Nadia Calviño (à esquerda) e Margrethe Vestager (à direita)
Nadia Calviño (à esquerda) e Margrethe Vestager (à direita) Direitos de autor Bogdan Hoyaux
Direitos de autor Bogdan Hoyaux
De  Jack Schickler
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

A vitória da ministra das Finanças espanhola, contra a dinamarquesa Margrethe Vestager, surge após meses de disputas.

PUBLICIDADE

A ministra espanhola das Finanças, Nadia Calviño, será a próxima presidente do Banco Europeu de Investimento (BEI), resolvendo assim um diferendo de longa data entre os ministros das Finanças da UE.

Vincent van Peteghem, o ministro belga que preside ao Conselho de Governadores do banco público, disse aos jornalistas que os ministros das finanças tinham alcançado um "consenso" sobre a sua candidatura.

Calviño será "uma forte próxima presidente do BEI, o maior banco de investimento do mundo", disse van Peteghem. "Desejo-lhe as maiores felicidades".

A própria Calviño disse aos jornalistas que estava "grata e honrada" por ter o apoio dos seus colegas. "Este apoio reflete o respeito, o apreço e a liderança que conquistámos através do trabalho intenso e árduo do último ano."

Calviño, anteriormente funcionária da Comissão Europeia, venceu a dinamarquesa Margrethe Vestager na corrida à chefia do setor de empréstimos da UE.

O cargo deverá ficar vago quando o alemão Werner Hoyer sair, no final de dezembro. Van Peteghem já tinha sugerido Calviño como principal candidata, numa carta enviada aos seus homólogos na semana passada.

O lugar estava a ser muito disputado, mas a Espanha tinha um trunfo. Sob a presidência do Conselho da UE, que é rotativa entre os Estados-membros, Calviño tem presidido, desde julho, às reuniões dos ministros das Finanças, o que lhe confere uma vantagem adicional para obter apoio.

Vestager é, desde 2014, a principal responsável pela aplicação da legislação anticoncorrência da UE, enfrentando grandes empresas tecnológicas como a Apple, a Google e o Facebook, mas demitiu-se temporariamente em setembro para fazer campanha para o cargo no BEI.

Numa publicação no X, Vestager confirmou que estava a retirar a sua candidatura e que iria retomar as funções na Comissão.

Instituição da UE financiada e governada pelos 27 ministérios das Finanças nacionais do bloco, o BEI foi apelidado de banco climático do bloco - em 2019, ao prometer apoios de um bilião de euros em investimentos sustentáveis e acabar com o financiamento de combustíveis fósseis. Estes objetivos, continuam, ao mesmo tempo que financia milhares de milhões de euros na reconstrução da Ucrânia, devastada pela guerra.

Calviño chefiou anteriormente o departamento orçamental da UE e, em 2019, foi candidata à presidência do Fundo Monetário Internacional, acabando por perder para a búlgara Kristalina Georgieva.

O seu futuro no governo nacional parecia estar em dúvida depois de o Partido Socialista espanhol ter ficado em segundo lugar nas eleições de julho - mas o primeiro-ministro Pedro Sánchez reforçou a sua posição graças a um acordo controverso com os separatistas catalães.

Hoyer, que já foi vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, deixará o cargo a 31 de dezembro, depois de cumprir dois mandatos de seis anos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Calviño diz que BEI quer captar mais privados para transição ecológica

Banco Europeu de Investimento vai parar de financiar os combustíveis fósseis

Luxemburgo e Banco Europeu de Investimento juntos pelo planeta