Valérie Hayer eleita presidente do grupo liberal Renovar a Europa

Valérie Hayer foi eleita presidente do Renew Europe na quinta-feira, 25 de janeiro de 2024.
Valérie Hayer foi eleita presidente do Renew Europe na quinta-feira, 25 de janeiro de 2024. Direitos de autor Alain ROLLAND/ European Union 2024 - Source : EP
De  Mared Gwyn Jones
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Valérie Hayer vai liderar o grupo Renovar a Europa (liberais e centristas), no Parlamento Europeu, depois de ter recebido o apoio, quinta-feira, dos 101 eurodeputados.

PUBLICIDADE

Eleita por aclamação, a eurodeputada francesa do partido Renascença (do presidente Emmanuel Macron), torna-se a pessoa mais jovem a liderar o grupo liberal no Parlamento Europeu. O cargo ficou vago no início deste mês, depois de Stéphane Séjourné ter sido nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros. 

Malik Azmani, eurodeputado neerlandês, esteve no cargo interinamente, mas não avançou como candidato. O seu partido de origem (VVD) está em delicadas negociações para criar um governo de coligação nos Países Baixos, depois da vitória surpreendente do Partido da Liberdade, populista e de extrema-direita, de Geert Wilders, nas eleições de novembro.

Hayer assume as rédeas do grupo Renovar a Europa, que inclui partidos centristas e liberais de vários países da União Europeia, e que está a cair nas sondagens de opinião sobre as eleições europeias, de 6 a 9 de junho.

As projeções prevêem que o grupo perca até 15 lugares, enquanto que os grupos de direita e de extrema-direita estão em alta.

"A nossa família está fortemente unida e otimista em relação às próximas eleições", afirmou Hayer.

"Somos a família política mais reconhecida na luta contra os extremos e os populistas", disse Hayer, "por isso vamos dar tudo nesta luta nas próximas semanas e vamo-nos ver na noite das eleições".

A eurodeputada alertou para o facto de os "valores fundamentais" da Europa estarem em jogo, referindo o partido de extrema-direita alemão Alternativa para a Alemanha, o partido polaco Lei e Justiça e o partido húngaro Fidesz como as principais ameaças.

"Quero deixar absolutamente claro que a nossa família não cederá à chantagem", afirmou, referindo-se a Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria e líder do Fidesz.

Alguns eurodeputados liberais acusaram o primeiro-ministro húngaro de vetar o apoio financeiro de apoio à Ucrânia, numa tentativa de pressionar o executivo da UE a desbloquear os fundos comunitários para a Hungria, congelados devido a preocupações com o Estado de direito e o retrocesso democrático.

O tema da agricultura

Hayer - cujos pais são ambos agricultores - também usou o seu primeiro discurso para garantir que o seu grupo estava "atento" às preocupações do setor agrícola europeu.

Nas últimas semanas, os protestos dos agricultores espalharam-se por todo o continente devido a queixas como os elevados preços da energia, as novas regras das políticas ambientais e os acordos de comércio livre da UE com países terceiros.

O emblemático Pacto Ecológico Europeui que visa reduzir significativamente as emissões poluentes numa tentativa de travar as alterações climáticas, está a emergir como uma das principais fontes de descontentamento entre as comunidades agrícolas rurais.

Hayer absteve-se de confirmar se o grupo Renovar iria pedir "pausa" nas políticas do deste pacto, no seu manifesto eleitoral, mas indicou que o assunto é prioritáriodo: "Será objeto de discussões que teremos em conjunto", afirmou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Receios sobre clima e imigração dominam atenção para eleições da UE

Saída antecipada de Michel pode levar Orbán a dirigir Conselho Europeu

LIberais europeus dizem que húngaros só recebem um terço da pizza