EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Parlamento eslovaco aprova resolução que condena violência política e pede fim de cultura de "ódio"

Eslovacos solidários com o primeiro-ministro Robert Fico
Eslovacos solidários com o primeiro-ministro Robert Fico Direitos de autor AP Photo/Lefteris Pitarakis
Direitos de autor AP Photo/Lefteris Pitarakis
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Parlamento apela aos partidos políticos, funcionários do Estado, meios de comunicação social e ONGs que respeitem os resultados das últimas eleições e não espalhem "ódio" contra o governo eleito nas urnas.

PUBLICIDADE

O Parlamento eslovaco reuniu-se pela primeira vez esta terça-feira desde o ataque a tiro contra o primeiro-minsitro Robert Fico e aprovou uma resolução que condena a violência política.

"O Parlamento recebeu com horror e profunda preocupação a notícia da tentativa de assassinato do primeiro-ministro Robert Fico, que foi obviamente cometida por motivos políticos e merece a mais firme condenação", lê-se na resolução.

"[O Parlamento] r****ejeita a violência por princípio, em particular a violência que o perpetrador aparentemente cometeu apenas porque tinha uma posição política diferente da do governo eslovaco".

O hemiciclo de Bratislava apelou também a todos os partidos políticos, funcionários do Estado, indivíduos com responsabilidades públicas, meios de comunicação social e organizações não-governamnetais (ONGs) para que respeitem os resultados das últimas eleições, não espalhem ódio contra o governo legitimamente eleito e ponham fim à retórica de "ódio".

"As pessoas não devem ser alvos de ódio devido às suas opiniões políticas, uma vez que o pluralismo, a diversidade e o respeito pelas outras opiniões são a base de qualquer sociedade livre e democrática", pode também ler-se no texto.

A resolução incentiva ainda o governo a adotar medidas de segurança adequadas para evitar novos ataques violentos com motivações políticas contra funcionários do Estado e cidadãos comuns, desejando ao primeiro-ministro uma rápida recuperação e o regresso  às suas funções.

O primeiro-ministro Robert Fico permanece no hospital em estado grave, mas não tem  a vida em risco. 

Um homem de 71 anos, identificado pela imprensa eslovaca como um antigo segurança e poeta amador, já foi acusado de tentativa de assassinato e encontra-se em prisão preventiva.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque contra Robert Fico ameaça aprofundar a divisão política na Eslováquia

Eslovacos condenam ataque contra o seu primeiro-ministro

Quem é Robert Fico, o primeiro-ministro populista eslovaco ferido num tiroteio?