EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ilaria Salis sai em liberdade e pode voltar a Itália

Manifestantes seguram uma faixa com a inscrição em italiano "Libertem Ilaria Salis", em frente ao monumento do Panteão, em Roma. 14 de fevereiro de 2024
Manifestantes seguram uma faixa com a inscrição em italiano "Libertem Ilaria Salis", em frente ao monumento do Panteão, em Roma. 14 de fevereiro de 2024 Direitos de autor / Roberto Monaldo/LaPresse
Direitos de autor / Roberto Monaldo/LaPresse
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A professora italiana, eleita para o Parlamento Europeu pela Aliança Verdes e Esquerda, está em liberdade.

PUBLICIDADE

Ilaria Salis podia ser só mais uma eurodeputada, não fosse a história polémica em que esteve envolvida no último ano.

Salis, agora eurodeputada pelo partido de esquerda Aliança Verdes e Esquerda (AVS), foi detida a 11 de fevereiro de 2023 sob a acusação de ter participado em agressões a três militantes de extrema-direita, em Budapeste.

A ativista italiana saiu esta manhã da residência onde estava reclusa na Hungria, ao abrigo das regras da imunidade parlamentar, e, segundo a agência Ansa, a polícia húngara retirou-lhe a pulseira eletrónica.

Sabe-se que o pedido de liberdade foi apresentado pelo seu advogado húngaro, Gyorgy Magyar, imediatamente após a sua eleição como deputada ao Parlamento Europeu.

"Estamos muito contentes com a notícia de Budapeste, a eurodeputada Ilaria Salis pode agora regressar a Itália e poderá desempenhar a sua nova função para a qual centenas de milhares de eleitores a indicaram", pode ler-se no comunicado dos deputados do partido, Angelo Bonelli e Nicola Fratoianni.

Mais de 165.000 pessoas escreveram o nome de Salis no boletim de voto na Lombardia, Ligúria, Vale de Aosta e Piemonte.

"Os nossos agradecimentos a todos aqueles que, como nós, nos últimos meses se indignaram, e não se conformaram, com as terríveis condições em que foi mantida nas prisões de Orbán. Agora poderá defender connosco os direitos civis e sociais dos mais fracos. Esperamos por ela", refere o comunicado.

Ilaria Salis esteve presa mais de 15 meses numa prisão de segurança máxima na capital húngara e, já este este ano, o pedido de prisão domiciliária foi aceite, tendo estado estes últimos meses reclusa em casa.

Presente de aniversário antecipado

A professora italiana, que completa 40 anos na segunda-feira 17 de junho, recebeu um presente de aniversário antecipado ao sair em liberdade. "Vamos festejar o aniversário dela em casa, eu próprio vou buscá-la e levá-la para casa", disse Roberto Salis , pai da ativista, à agência noticiosa ANSA.

"Estou muito feliz, estou a tentar organizar o seu regresso o mais rapidamente possível. Trabalhei com calma, mas não esperávamos que ela fosse libertada hoje. O advogado Magyar telefonou-me para me dizer que a polícia estava a caminho para a libertar. E agora vou buscá-la", acrescentou.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ativista italiana candidata às eleições europeias passa para prisão domiciliária na Hungria

Pai de ativista italiana detida na Hungria pede intervenção do Parlamento Europeu

Ilaria Salis, ativista italiana detida na Hungria, vai ser candidata às eleições europeias