EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Viktor Orbán acusa líder do Partido Popular Europeu de ser "hungarofóbico"

Viktor Orbán, dirige-se às pessoas que apoiam o seu partido durante uma "marcha pela paz" em Budapeste, Hungria, sábado, 1 de junho de 2024.
Viktor Orbán, dirige-se às pessoas que apoiam o seu partido durante uma "marcha pela paz" em Budapeste, Hungria, sábado, 1 de junho de 2024. Direitos de autor Denes Erdos/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Denes Erdos/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán numa entrevista à rádio húngara, acusou o líder do PPE, em maioria no Parlamento Europeu, de ser anti-húngaro.

PUBLICIDADE

Antes de partir para Berlim, Viktor Orbán esteve no programa "Bom dia, Hungria" - da emissora húngara Kossuth Rádió - onde falou do que descreveu como um fenómeno "hungarofóbico" que está a acontecer no Parlamento Europeu.

O primeiro-ministro húngaro acusou Manfred Weber, líder do Partido Popular Europeu, com a maioria no Parlamento Europeu, de ser "hungarofóbico".

"Há ali uma direção muito clara. Manfred Weber tem apenas um objetivo que lhe é muito caro, que é prejudicar a Hungria", disse Orban.

Estas acusações surgiram depois de o PPE ter recentemente aberto os braços ao partido TISZA, do adversário político de Orbán, Péter Magyar.

Peter Magyar (TISZA) participa na festa da noite eleitoral do partido após as eleições para o Parlamento no dia  10 junho de 2024
Peter Magyar (TISZA) participa na festa da noite eleitoral do partido após as eleições para o Parlamento no dia 10 junho de 2024Denes Erdos/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.

Orbán relembrou os votos dados pelo seu partido à atual presidente da Comissão Europeia. "Recordo que Von der Leyen ganhou a confiança do parlamento por apenas nove votos e 13 foram nossos. Por isso, a posição do Fidesz sobre quem deveria ser o presidente da comissão foi de facto decisiva", acrescentando que a Ursula Von der Leyen "é apenas um mordomo, em comparação com a hungarofobia de que o Sr. Weber está a sofrer".

A Euronews pediu uma reação ao PPE sobre as declarações de Orbán. Fonte do partido recusou fazer quaisquer comentários.

O Fidesz de Orbán abandonou o grupo do Partido Popular no Parlamento Europeu em 2021, na sequência de uma votação dos eurodeputados do PPE que mudou as regras para permitir a suspensão ou mesmo a exclusão do Fidesz daquele grupo.

O partido centrista húngaro Tisza, liderado por Magyar, conquistou sete dos 21 lugares húngaros nas eleições europeias de junho, tirando lugares ao Fidesz e democratas-cristãos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Péter Magyar, aliado e rival de Orbán, junta-se ao grupo de centro-direita do PPE no Parlamento Europeu

Presidente do PPE diz que grupo tem a "porta aberta" para o partido rival de Orbán

Ucrânia: bombardeamento em Kherson faz pelo menos dois mortos