EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

O primeiro-ministro da Albânia chamou aos EUA "um dos três males do mundo"?

O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à esquerda, e o Primeiro-Ministro da Albânia, Edi Rama, apertam as mãos durante a sua reunião em Tirana, Albânia, quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024.
O Secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à esquerda, e o Primeiro-Ministro da Albânia, Edi Rama, apertam as mãos durante a sua reunião em Tirana, Albânia, quinta-feira, 15 de fevereiro de 2024. Direitos de autor AP Photo/Armando Babani
Direitos de autor AP Photo/Armando Babani
De  James Thomas
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o primeiro-ministro Edi Rama a classificar os EUA, a União Soviética e Israel como os três "males" do mundo.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro Edi Rama é conhecido pelo seu discurso frontal e os seus comentários servem frequentemente de matéria para manchetes e publicações nas redes sociais.

Em 2022, chamou à UE "uma grande confusão e uma desgraça", depois de o bloco ter congelado as negociações de adesão da Albânia. E quem pode esquecer a sua piada sobre o alegado papel do presidente russo Vladimir Putin na morte do fundador do grupo Wagner, Yevgeny Prigozhin?

Surgiram entretanto novas acusações de que Edi Rama descreveu os EUA como "maus" e "diabólicos", mas as suas palavras foram retiradas do contexto.

Esta publicação no X afirma mostrar um vídeo em que Rama discute os três principais males do mundo.

Foi visto mais de quatro milhões de vezes até à data desta verificação de factos. Teve "gostos" e foi partilhado novamente cerca de 100.000 vezes no total.

A legenda do vídeo retira as palavras de Rama do contexto
A legenda do vídeo retira as palavras de Rama do contextoEuronews

O vídeo começa com Rama a descrever imediatamente "três grandes demónios": os Estados Unidos, a União Soviética e Israel.

A publicação salienta que o vídeo é particularmente impressionante porque Rama faz os comentários enquanto se dirige ao secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken.

Rama especifica ainda que estes males se referem particularmente ao "imperialismo americano, ao imperialismo social soviético e ao sionismo judaico".

O primeiro-ministro da Albânia disse, de facto, todas estas coisas, mas a publicação no X contém um vídeo cortado que retirou as palavras dele do contexto.

Na verdade, Rama fez os comentários enquanto falava sobre a visão da Albânia sobre os assuntos mundiais durante a ditadura comunista, em meados do século XX.

O discurso é de uma conferência de imprensa realizada por Rama e Blinken em Tirana, Albânia, em fevereiro, que pode ser consultada no canal oficial do Departamento de Estado dos EUA no YouTube.

Os comentários em questão surgem no final da conferência de imprensa, quando os dois estão a responder aos jornalistas.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à esquerda, e o primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, apertam as mãos após uma conferência de imprensa conjunta em Tirana
O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, à esquerda, e o primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, apertam as mãos após uma conferência de imprensa conjunta em TiranaArmando Babani/Copyright 2024 The AP. All rights reserved

Um repórter refere que a Albânia reconheceu a Palestina em 1988, antes de perguntar a Rama se considera que uma solução de dois Estados entre Israel e a Palestina ainda é possível com o atual governo israelita e como é que ele e os EUA pensam que isso é possível.

Rama recorda que, quando a Albânia era uma ditadura comunista, o líder do país, Enver Hoxha, era um dos "amigos e aliados mais próximos" da Organização de Libertação da Palestina.

Durante os anos de Hoxha, a Albânia começou por ser um aliado da União Soviética e depois rejeitou-a abertamente em favor da China, por alegadamente não ter aderido às convicções marxistas.

PUBLICIDADE

Na altura, o país dos Balcãs foi muitas vezes considerado como a "Coreia do Norte da Europa" devido ao seu estrito isolamento e à sua política contrária.

Na conferência de imprensa, Rama afirmou que, nessa altura, o regime albanês era também "muito ferozmente contra três grandes demónios", antes de enumerar os EUA, a União Soviética e Israel.

Rama descreveu ainda a forma como a Albânia acolheu e protegeu os judeus que fugiam da Alemanha nazi.

A Albânia foi o único país europeu onde a comunidade judaica era maior após a Segunda Guerra Mundial do que antes dos pogroms e do Holocausto.

PUBLICIDADE

Rama confirmou que continua a considerar a solução de dois Estados como a única solução para Israel e para a Palestina, mas salientou que tal exigirá uma enorme vontade política e reformas por parte dos países envolvidos e da comunidade internacional.

Rama termina dizendo que não tem qualquer inveja da posição de Blinken, num tom amigável que confirma as relações positivas do seu país com os EUA - muito longe de os considerar "maus" ou "diabólicos".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O capitão do navio que embateu na ponte de Baltimore era ucraniano?

A União Europeia decide 80% das nossas leis?

Macron cancelou visita a Kiev devido a plano do governo ucraniano para o assassinar?