EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Incidentes antissemitas aumentaram na Alemanha em 2023

Pessoas participam numa marcha de protesto contra todas as formas de antissemitismo em Berlim, domingo, 10 de março de 2024
Pessoas participam numa marcha de protesto contra todas as formas de antissemitismo em Berlim, domingo, 10 de março de 2024 Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Markus Schreiber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em comparação com 2022, quase 83% mais incidentes antissemitas foram reportados. A Associação Federal dos Departamentos de Investigação e Informação sobre Antissemitismo (RIAS) acredita que o aumento está diretamente relacionado com os ataques do Hamas em Israel a 7 de outubro do ano passado.

PUBLICIDADE

O antissemitismo está em ascensão na Alemanha, de acordo com a Associação Federal dos Departamentos de Investigação e Informação sobre Antissemitismo (RIAS).

A associação registou um aumento de cerca de 83% dos incidentes antissemitas no ano passado, com mais da metade a ocorrerem após os ataques do Hamas em Israel a 7 de outubro.

Quase 5.000 incidentes antissemitas foram registados em 2023, mais dois mil do que os regitados em 2022, cerca de 3.000.

Os casos reportados vão desde ataques verbais a ataques físicos, e incluem ainda um incidente com cocktails molotov em meados de outubro que teve como alvo uma sinagoga e um centro comunitário judaico em Berlim.

Felix Klein, Comissário do Governo Federal para a Vida Judaica na Alemanha e da Luta contra o Antissemitismo, pediu medidas mais rigorosas para combater o ódio contra a comunidade judaica.

"A fim de fornecer às autoridades policiais meios eficazes para combater de forma abrangente o incitamento e a violência antijudaica, apelo a que haja alterações ao Código Penal. Por exemplo, pedir a destruição de outros Estados deve ser considerado crime", defendeu o comissário alemão.

Um alto funcionário judeu, sob anonimato, disse que o aumento dos ataques ainda não resultou numa emigração de judeus da Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Marchas contra o antissemitismo na Europa

Olaf Scholz diz-se "envergonhado" com demonstrações de antissemitismo e promete proteger os judeus

Alemanha alerta para aumento do antissemitismo ligado à pandemia