EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Meloni encontra-se com Orbán para discutir programa da presidência húngara do Conselho da UE

Meloni recebeu Orbán em Roma
Meloni recebeu Orbán em Roma Direitos de autor Roberto Monaldo/LaPresse
Direitos de autor Roberto Monaldo/LaPresse
De  Giorgia Orlandi
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro húngaro foi a Roma reunir-se com Giorgia Meloni.

PUBLICIDADE

Giorgia Meloni e o primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, reuniram-se durante mais de uma hora na segunda-feira, no âmbito da visita de Orbán a várias capitais europeias antes de a Hungria assumir a presidência rotativa do Conselho da UE. Depois de Berlim, Orbán deslocou-se a Roma e segue para Paris.

A viagem oferece ao primeiro-ministro húngaro a oportunidade de participar em consultas com os líderes da UE e de os informar sobre o programa da presidência numa altura crucial. A reunião com a primeira-ministra italiana teve lugar antes da cimeira desta semana, que se centrará nos principais cargos da UE após as eleições europeias.

Nas declarações finais de ambos os líderes à margem da reunião bilateral, Meloni descreveu Orbán como um parceiro importante na Europa e elogiou-o por fazer da crise de natalidade uma das principais prioridades do programa da presidência húngaro.

A líder italiana revelou ainda que ela e Orbán concordaram em várias questões: desde a abordagem do país à competitividade até às políticas agrícolas e à migração. No entanto, como sublinhou Meloni, os dois nem sempre estão de acordo no que respeita à Ucrânia. Para além de ser a primeira-ministra italiana, Meloni é também presidente do grupo político dos Conservadores e Reformistas Europeus (CRE), que se tornou a terceira maior força do Parlamento Europeu.

Recentemente, o co-presidente do CRE, Nicola Procaccini, foi citado como tendo afirmado que, se o partido de Viktor Orbán quiser juntar-se aos conservadores no futuro, Orbán terá de apresentar uma declaração escrita a expressar o seu apoio à Ucrânia. Mas isso não parece ser uma opção, pelo menos para já.

Depois de agradecer a Meloni, Viktor Orbán esclareceu mais uma vez que o seu partido não vai juntar-se à família política dos Conservadores e Reformistas, principalmente devido, como disse Orbán, "à presença de um partido romeno anti-Hungria". Esta é uma clara referência ao facto de os membros do partido AUR terem aderido ao grupo conservador de direita.

O partido Fratelli d'Italia, de Meloni, manteve a sua posição de líder em Itália após as eleições europeias e deverá exigir um lugar de topo em Bruxelas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Scholz recebe Orbán em Berlim sem fanfarras nem honras militares

Viktor Orbán acusa líder do Partido Popular Europeu de ser "hungarofóbico"

Análise: Orbán, Meloni e Fiala descontentes com os cargos de topo para UE