EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Nova legislação sobre o álcool põe fim ao turismo de "sol, sexo e sangria" em Ibiza e Maiorca

Os turistas também podem ser multados até 1 500 euros por beberem na rua.
Os turistas também podem ser multados até 1 500 euros por beberem na rua. Direitos de autor Sebastian Coman Travel
Direitos de autor Sebastian Coman Travel
De  Rebecca Ann Hughes
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Os turistas também podem ser multados até 1 500 euros por beberem na rua.

PUBLICIDADE

Farto de turistas desordeiros e bêbados, o governo local das Ilhas Baleares em Espanha introduziu novas e rigorosas proibições de consumo de álcool.

Os turistas de algumas das estâncias mais populares de Maiorca e Ibiza estão proibidos de comprar álcool nas lojas entre as 21h30 e as 8h00 da manhã.

A medida faz parte das alterações introduzidas num decreto de 2020 destinado a travar o "excesso de turismo".

Como parte do aumento das restrições, os barcos de festa também serão impedidos de operar a menos de uma milha náutica de certas áreas.

Maiorca e Ibiza proíbem a venda de álcool durante a noite

A venda de álcool durante a noite é agora proibida em Llucmajor, Palma, Calvia (Magaluf) em Maiorca e Sant Antoni em Ibiza.

Esta proibição aplica-se apenas às lojas, pelo que as bebidas podem continuar a ser vendidas em bares, restaurantes e discotecas.

Também é proibido beber na rua nos locais turísticos de Ibiza e Maiorca, com exceção das esplanadas e outras zonas com licença. As multas por infração variam entre 500 e 1500 euros, podendo atingir os 3000 euros se o comportamento for particularmente perturbador.

A lei permanecerá em vigor até 2027.

A decisão vem acompanhada de um pacote de financiamento de 16 milhões de euros para a segurança, inspeções e publicidade para promover o turismo responsável, introduzido pelo governo das Baleares.

Baleares de Espanha estão a promover um turismo mais responsável

A nova legislação faz parte de um esforço mais alargado para substituir o turismo de "sol, sexo e sangria" por um comportamento mais responsável por parte dos visitantes.

Embora as regras tenham sido endurecidas, a redação do decreto de 2020 foi suavizada.

As autoridades reviram o termo "turismo excessivo" para " turismo responsável", reconhecendo que "o turismo representa mais de 45% do PIB da comunidade".

A lei de 2020 foi introduzida depois de o comportamento cada vez mais perturbador dos turistas ter suscitado notícias nos meios de comunicação social internacionais.

"Ano após ano, têm surgido notícias relacionadas com o comportamento incivil de jovens turistas que têm causado profunda preocupação entre os restantes cidadãos, no sector hoteleiro e nas administrações envolvidas", refere o decreto.

Atribuído, em grande parte, ao consumo excessivo de álcool, o comportamento irresponsável dos turistas também provocou ferimentos graves e mortes.

O decreto de 2020 já restringe atividades como as happy hours, os pub crawls e as promoções de bebidas a dois por um.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Veneza começa a multar os turistas que não pagam a entrada no centro histórico

A Bulgária e a Roménia abrem-se a mais turistas. Eis o que esperar

Grécia mais acessível para os turistas turcos