EUA reforçam segurança antes da publicação de relatório sobre práticas de tortura da CIA

EUA reforçam segurança antes da publicação de relatório sobre práticas de tortura da CIA
De  Rodrigo Barbosa com AFP / EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O tão esperado relatório sobre os métodos de tortura usados pela CIA depois dos atentados do 11 de Setembro deverá ser tornado público esta

PUBLICIDADE

O tão esperado relatório sobre os métodos de tortura usados pela CIA depois dos atentados do 11 de Setembro deverá ser tornado público esta terça-feira. Receando ataques em represália, os Estados Unidos reforçaram a segurança nas instalações diplomáticas.

O porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, explicou que “a administração tomou passos prudentes para garantir a segurança nas suas representações em todo o mundo. Mas é importante frisar que o governo apoia fortemente a divulgação do sumário desclassificado do relatório”.

A Comissão dos Serviços Secretos do Senado que elaborou o texto foi liderada pela democrata Dianne Feinstein, que frisou que as conclusões são “chocantes”.

No resumo de 500 páginas que será tornado público serão detalhadas práticas aplicadas aos suspeitos de ligação à Al-Qaida, como a privação de sono ou o “waterboarding”, uma simulação de afogamento considerada como uma tortura pelas organizações de Defesa dos Direitos Humanos.

O texto deverá também fazer referência ao transporte ilegal de prisioneiros, que passaram por vários países europeus.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Responsável pela criação do ChatGPT readmitido pela startup OpenAI

OpenAI demite diretor executivo, Sam Altman

"Rapper" Sean Combs acusado de violação e abuso pela ex-namorada