Familiares de vítimas de Sandy Hook atacam-se a fabricante da arma do crime

Familiares de vítimas de Sandy Hook atacam-se a fabricante da arma do crime
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Os familiares das nove vítimas do massacre da escola de Sandy Hook em 2012, abriram um processo em tribunal contra o fabricante da arma utilizada

PUBLICIDADE

Os familiares das nove vítimas do massacre da escola de Sandy Hook em 2012, abriram um processo em tribunal contra o fabricante da arma utilizada pelo atirador

A queixa por negligência e morte injustificada foi interposta esta segunda-feira no tribunal do Connecticut dois anos após o massacre, protagonizado por Adam Lanza, um jovem de 20 anos.

Os familiares consideram que a arma utilizada por Lanza, uma espingarda de assalto AR-15, criada para fins militares não deveria ser vendida a civis.

O processo judicial interposto dois anos após o massacre pretende obter compensações financeiras da parte do fabricante da arma e do entreposto que vendeu a espingarda ao atirador.

A queixa ameaça no entanto esbarrar numa lei de 2005 que absolve os fabricantes de armamento de toda as responsabilidades quando as armas são utilizadas em crimes.

Desde o massacre de 2012 que as autoridades do Connecticut proibiram a venda de mais de 100 armas de tipo militar, limitando os cartuchos a 10 balas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Agentes da autoridade mortos a tiro no Estado de Nova Iorque

Nova Iorque sacudida por terramoto de 4,8 na escala de Richter, o maior em mais de 40 anos

Israel vai abrir dois corredores de ajuda humanitária em Gaza após aviso dos EUA