EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Suécia: protesto Pegida mobiliza mais detratores que apoiantes em Malmö

Suécia: protesto Pegida mobiliza mais detratores que apoiantes em Malmö
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O movimento xenófobo Pegida ensaiou um primeiro protesto na Suécia, asfixiado por uma contra-manifestação de milhares de pessoas. A marcha, em Malmö

PUBLICIDADE

O movimento xenófobo Pegida ensaiou um primeiro protesto na Suécia, asfixiado por uma contra-manifestação de milhares de pessoas.

A marcha, em Malmö, a segunda cidade do país, atraiu cerca de 50 pessoas, entre membros dos partidos de extrema direita e movimentos neo-nazis.

Correction: 8 from Pegida vs. 5.000 anti-racists! We're literally crying out of laughter! #nopegida#kämpamalmöpic.twitter.com/YUaWbfSoYo

— No Pegida Sverige (@NoPegidaSverige) February 9, 2015

Malmö #kämpamalmö#nopegida Hundreds of anti pegida demonstrators surrounding a bunch of #Pegida supporters pic.twitter.com/j9rHi7B0c0

— Salim Salamah (@Salim_SYR) February 9, 2015

Na contra-manifestação, que reuniu mais de 3 mil pessoas, uma mulher afirma:

“Nós somos mais fortes que os racistas, é o que sinto de cada vez que participo numa manifestação como esta. Eles dizem que são nacionalistas e não racistas, mas para mim são racistas, uma vez que não defendem a igualdade entre as pessoas”.

O protesto do Pegida, inspirado do movimento alemão do mesmo nome, tinha sido convocado através das redes sociais por um galerista e um artista urbano, condenados no passado por incitação ao ódio racial.

Um dos organizadores, Henrik Rönnquist, afirma, “não se trata de racismo ou de expulsar os imigrantes do país… trata-se de defender os nossos valores e tradições, trata-se de mostrar que estamos muito orgulhosos do nosso país”.

O protesto do Pegida na Suécia, volta a demonstrar que o movimento – que condena o que considera ser a “islamização do ocidente” – continua a mobilizar muito menos gente do que os seus detratores.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O futuro da Europa: dos combustíveis fósseis à dependência dos metais?

ABBA World, uma nova exposição em Malmö

Suécia passa a permitir mudança de género a partir dos 16 anos