EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ucrânia: Acalmia dos confrontos mas não da tensão no leste do país

Ucrânia: Acalmia dos confrontos mas não da tensão no leste do país
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O presidente ucraniano fala de uma acalmia do conflito no leste do país, à excepção da região do aeroporto de Donetsk e dos arredores da cidade de

PUBLICIDADE

O presidente ucraniano fala de uma acalmia do conflito no leste do país, à excepção da região do aeroporto de Donetsk e dos arredores da cidade de Mariupol.

As declarações de Petro Poroshenko sugerem que o novo cessar-fogo, que entrou em vigor a 15 de fevereiro, está a ser globalmente respeitado.

O líder dos separatistas em Donetsk fala, no entanto, de um possível incumprimento dos acordos de paz de Minsk, se Kiev não declarar um estatuto especial para a região até ao prazo limite deste sábado.

“Kiev tem 24 horas para cumprir a sua parte das obrigações e se o parlamento ucraniano não tomar uma decisão será claro que não está preparado para respeitar o acordo de Minsk”.

Em Debaltseve, a cidade tomada pelos rebeldes após a assinatura do novo acordo e por isso fora da futura zona sob estatuto especial, os separatistas não parecem decididos a efetuar uma retirada.

Um habitante afirma:

“Eu não quero saber se estou na República de Donetsk ou na República de Lugansk desde que paguem as pensões e os salários. Sob o poder de Kiev ou dos separatistas, as pessoas só querem retomar uma vida normal”.

Outra habitante afirma:

“Para mim Debaltseve já não é uma parte da Ucrânia desde que mataram a minha mãe”.

As tropas separatistas efetuaram esta sexta-feira novos exercícios militares em torno da cidade.

O presidente ucraniano deixou também um aviso, se o conflito reacender-se, Kiev e os seus aliados ocidentais estão prontos a recorrer às armas e a novas sanções.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Moscovo "falsifica" votos nas regiões ucranianas ocupadas

Forças armadas ucranianas negam responsabilidade no ataque a mercado de Donetsk

25 mortos após bombardeamento a mercado na Ucrânia ocupada pela Rússia