Crise no Iémen aprofunda-se

Crise no Iémen aprofunda-se
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Foram os piores confrontos armados desde há vários anos na segunda principal cidade do Iémen, Áden. Pelo menos 13 pessoas morreram em violentos

PUBLICIDADE

Foram os piores confrontos armados desde há vários anos na segunda principal cidade do Iémen, Áden. Pelo menos 13 pessoas morreram em violentos combates quando homens leais ao atual presidente Abd-rabbu Mansour Hadi forçaram a entrada numa base militar controlada por um general renegado.

Mais tarde, um avião de combate atacou sem sucesso o palácio onde o presidente está refugiado desde fevereiro, quando abandonou a capital Sana por causa das milícias Houthi.

Num comunicado, Abd-rabbu Mansour Hadi afirmou que se tratou de um golpe de estado falhado, levado a cabo pelo anterior chefe de Estado, Ali Abdullah Saleh, que abandonou o poder em 2012 como parte de um acordo de pacificação do país.

Agora, a luta pelo poder aprofunda-se. De um lado está a milícia chiita Houthi, que os rivais dizem ter apoio do Irão; do outro, a fação legitima no poder, encabeçada por Hadi, e apoiada por sunitas e líderes do sul.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA avisam que não vão parar ataques contra militantes apoiados pelo Irão no Iraque e na Síria

Tripulação apaga incêndio em petroleiro atingido por míssil Houthi ao largo do Iémen

Os Houthis são o modelo dos atores não estatais do século XXI