Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Coligação regional contra o Boko Haram

Coligação regional contra o Boko Haram
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A coligação regional do Níger, do Chade e dos Camarões está a combater o Boko Haram na Nigéria, desde janeiro de 2015, para ajudar o governo nigeriano. No entanto, estes países também estão a sofrer ataques nos próprios territórios.

O correspondente da euronews, Luis Carballo, falou com o chefe do Estado Maior das Forças Armadas, o general Brahim Seid Mahamat, que explica as razões do envolvimento do Chade:

*- O Chade importa a quase totalidade de bens da Nigéria e dos Camarões. A primeira rota da Nigéria era a que tinha origem no Maiduguri e passava por Gamburu, atravessava os Camarões até ao Chade.

Foi precisamente esse o eixo bloqueado pelo Boko Haram. O exército nigeriano não estava em nenhuma das localidades ocupadas pelo Boko Haram.

A seguir, as milícias do Boko Haram tentaram progredir até aos Camarões, onde criaram uma situação grave a nível do eixo, que também serve de rota para nós. Foi o que impulsiou o Chade a intervir.

A segunda razão é que o Boko Haram tenta progredir nos territórios dos países vizinhos, os que fazem fronteira no norte da Nigéria. Foi assim que começaram a incursão no Niger e no Chade.

O Boko Haram é um inimigo declarado pela comunidade internacional, terrorista. Seja para o Niger, a Nigéria, o Chade ou os Camarões, são indivíduos prontos para prejudicar as populações e os países.*