Última hora
This content is not available in your region

Cipriotas turcos de olhos postos no Norte

Cipriotas turcos de olhos postos no Norte
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto no norte do Chipre se escolhe o novo presidente, no lado grego da ilha a vida decorre com normalidade.

Se nas ruas o clima é de calma, os analistas políticos olham para o escrutínio com alguma expectativa.

Em Nicósia espera-se que a vitória do independente Mustafa Akinsi sobre o nacionalista e atual líder dos cipriotas turcos, Dervis Eroglu, ajude a acelerar o processo de negociações de reunificação da ilha, suspensas desde outubro, quando a Turquia demonstrou interesse em explorar o gás natural do norte da ilha.

“A questão cipriota tornou-se, repetidamente, num motivo de confrontos geopolíticos, mas desta vez, a recém-descoberta de recursos energéticos, pode tornar-se numa boa oportunidade para que haja importantes concessões de todos”, anseia o comentador político, Kyriakos Pierrides.

As Nações Unidas já se manifestaram e esperam que as negociações recomecem já em maio.

Para os analistas, as conversações serão mais céleres se à mesa com o presidente cipriota grego, Nikos Anastasiades, estiver Mustafa Akinsi.

A analista de política, Rallou Papageorgiou, considera que “os cipriotas gregos sentem que o progresso será lento, caso Anastasiades e Eroglu se sentem, novamente, à mesa de negociações. Mas será diferente se Anastasiades mantiver conversações com Akinsi.”

O escrutínio deste domingo pode ser o início de um processo de reunificação, que se espera desde a invasão turca, em 1974.

O lado cipriota grego está bastante interessado no resultado destas eleições e tem esperança em que a vitória do moderado Akinsi acelere o processo de paz, que foi protelado pelo rival e atual líder cipriota turco, Eroglu.