Junta militar do Burkina Faso reabre fronteiras e liberta presidente de transição

Junta militar do Burkina Faso reabre fronteiras e liberta presidente de transição
De  Dulce Dias com LUSA, AFP, REUTERS, AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Gestos de apaziguamento quando a tensão aumenta no país e a comunidade internacional condena o golpe de Estado

PUBLICIDADE

Um dia depois do golpe de Estado militar no Burkina Faso, o general Diendéré representa-se como chefe de Estado: reabre as fronteiras do país e anuncia a libertação do presidente de transição, Michel Kafando, que fora feito refém na quarta-feira pelos militares que tomaram o poder.

Gestos de apaziguamento quando a capital, Ouagadougou, vive em câmara lenta e sob recolher obrigatório; a União Africana suspendeu o Burkina Faso da organização; a comunidade internacional condena o golpe de Diendéré; e os protestos populares se fazerem ouvir um pouco por todo o lado. Ao todo, 8 pessoas morreram nos últimos três dias.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)0; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/fr_FR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));> Derni�re heure: L'Union Africaine annonce la suspension du Burkina Faso de l'organisation panafricaine. #Burkina

Posted by Burkina24 on�vendredi 18 septembre 2015

#BurkinaFaso : le Conseil de sécurité demande aux putschistes de rendre le pouvoir aux autorités de transition@ONU_fr http://t.co/Ls4aCfyBQO

— Nations Unies (ONU) (@ONU_fr) 18 Septembre 2015

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)0; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/fr_FR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));> A Diapaga – manifestation contre le coup d'�tat. #Burkina

Posted by Burkina24 on�vendredi 18 septembre 2015

#EnDirect : Suivez la situation du coup d'Etat au #BurkinaFasohttp://t.co/uT273CAZj1pic.twitter.com/MGpYzlICIs

— TV5MONDE (@TV5MONDE) 18 Septembre 2015

O general, antigo braço direito do ex-presidente Blaise Compaoré, reuniu-se com a junta militar e prometeu organizar rapidamente eleições. “Não tencionamos eternizar-nos no poder”, afirmou.

O primeiro escrutínio democrático, organizado pelo governo de transição, estava inicialmente previsto para outubro.

Em jeito de chefe de Estado, o general recebeu o presidente do Senegal. Macky Sall tenta desempenhar um papel de mediador face a um país que, desde a independência, em 1960, já viveu inúmeros golpes de Estado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Massacre no Burkina Faso cometido por homens que vestiam uniformes do exército

Macron anuncia apoio de três mil milhões de euros à Ucrânia durante visita de Zelenskyy a Paris

Mudança de liderança nas Forças Armadas divide ucranianos