Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Suécia: Ataque à escola foi crime racista

Suécia: Ataque à escola foi crime racista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Recolhimento e flores em memória das duas vítimas mortais do atentado a uma escola de imigrantes na Suécia.

O jovem atacante de 21 anos sentia fascínio por Hitler e partilhava ideais da extrema direita segundo a conclusão das primeiras investigações preliminares.

A imprensa sueca revelou a identidade do agressor e assegura tratar-se de Anton Lundin-Pettersson, nativo da cidade de Trollhättan.

A polícia investiga a fundo a vida e o historial criminoso do atacante que vivia na cidade industrial de Trollhättan no sudoeste do país, uma região que que possui 20% de habitantes estrangeiros.

“Há três fatores que mostram tratar-se de um crime racista. Um deles são as provas achadas no apartamento do agressor, outro é também a forma como o assaltante se vestiu e agiu na cena do crime. Finalmente a forma como as vítimas foram selecionadas aqui na escola.”

As provas recolhidas no apartamento passam uma ideia clara da ideologia do homem, cujos conhecidos o descrevem como alguém educado e fechado.

Anton Lundin-Pettersson era, ao que parece, hostil ao islão, xenófobo e partidário da celebração de um referendo sobre a imigração, como exige o partido Democratas da Suécia – o terceiro maior com representação parlamentar.