EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Lituânia aceita pedido de asilo de refugiado afegão depois de ver vídeo no Youtube

Lituânia aceita pedido de asilo de refugiado afegão depois de ver vídeo no Youtube
Direitos de autor 
De  Euronews com EBU
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Por entre as inúmeras histórias dos refugiados por vezes há umas que acabam em bem. Esta, em particular, diz respeito a um refugiado afegão que

PUBLICIDADE

Por entre as inúmeras histórias dos refugiados por vezes há umas que acabam em bem.

Esta, em particular, diz respeito a um refugiado afegão que utilizou a plataforma Youtube para pedir asilo à Lituânia.

Basir Yousofy enviou um vídeo para o Youtube no qual pede asilo político à Lituânia explicando que havia trabalhado com soldados lituanos da NATO no Afeganistão.

“Ele fazia a ligação entre a população local e os nossos soldados. O seu comportamento influenciou as atitudes das pessoas para connosco. Todos nos trataram bem”, afirma Eugenijus Vaicekauskas, representante do ministério lituano da defesa.

O vídeo acabaria por ser visto por militares do exército e do ministério da defesa lituano o que levou o governo a agir e aceitar o seu pedido de asilo.

Desde a saída das forças lituanas da NATO do Afeganistão em 2013 que a situação de Basir se tem vindo a degradar.

Várias ameaças de morte pelos Talibã precipitaram a decisão de partir.

“Decidimos ajudar esta pessoa porque é óbvio que corre perigo de vida no seu país. De momento está na Grécia, tem um passaporte válido, só precisa de chegar aqui”, adiantou Elvinas Jankevicius, vice-ministro do Interior.

Segundo o acordo da União Europeia em vigor, a Lituânia terá ainda que receber cerca de um milhar de refugiados provenientes da Grécia e Itália.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lituanos voltam às urnas para a segunda volta das eleições presidenciais

Rússia pode rever águas territoriais no Báltico

Eleições presidenciais vão ter segunda volta na Lituânia mas Nauseda deve conseguir segundo mandato