Última hora

Hezbollah acusa extremistas sunitas pela morte de líder militar na Síria

Hezbollah acusa extremistas sunitas pela morte de líder militar na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O grupo xiita libanês Hezbollah afirma que o seu líder militar
Mustafa Amine Badreddine teria sido morto por extremistas sunitas.

Antes o grupo havia responsabilizado Israel pelo ataque que levou à morte de Badreddine.

Na sexta-feira, uma multidão de apoiantes do Hezbollah saiu à rua, em Beirute, para prestar uma última homenagem a Mustafa Amine Badreddine, líder do movimento xiita libanês, que perdeu a vida numa explosão perto do aeroporto de Damasco, na Síria.

O funeral de Badreddine teve lugar num subúrbio do sul da capital libanesa, bastião do Hezbollah.

O Irão, principal aliado regional da Síria – que conta com o apoio do movimento xiita libanês no combate à rebelião -, apresentou as condolências a Hassan Nasrallah, líder do Hezbollah.

Washington também reagiu à morte de Badreddine, anunciando que nenhum avião da coligação liderada pelos Estados Unidos se encontrava na área de Damasco na altura em que ele foi morto, na noite desta quinta para sexta-feira.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.