EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Forças iraquianas entram em Faluja e assumem controlo de esquadra de polícia

Forças iraquianas entram em Faluja e assumem controlo de esquadra de polícia
Direitos de autor 
De  Pedro Sacadura com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Apoiado pela aviação norte-americana, o Exército iraquiano invadiu, esta segunda-feira, a região sul da cidade de Faluja, considerada um dos bastiões dos jihadistas do autodenominado Estado…

PUBLICIDADE

Apoiado pela aviação norte-americana, o Exército iraquiano invadiu, esta segunda-feira, a região sul da cidade de Faluja, considerada um dos bastiões dos jihadistas do autodenominado Estado Islâmico.

Durante a ofensiva, uma unidade militar iraquiana de elite tomou de assalto e assumiu o controlo de uma esquadra da polícia, nos limites do interior da cidade, situada 50 quilómetros a oeste da capital Bagdade.

Estima-se que cerca de 50 mil civis permaneçam retidos no interior de Faluja.

“Nos arredores de Faluja registaram-se confrontos violentos que persistem. Esperemos que a batalha termine em breve. Tentaremos evacuar a cidade de forma segura”, explicou Abdul-Wahab al-Saadi, comandante da operação do Exército iraquiano em Faluja.

Um vídeo divulgado pelas Forças de Mobilização Popular mostra o que parecem ser combatentes da milícia xiita iraquiana a lutar ao lado de militares do Exército durante a ofensiva para recuperar Faluja, um bastião da insurgência sunita.

Faluja caiu nas mãos dos jihadistas do autodenominado Estado Islâmico em janeiro de 2014.

Iraqi forces begin pushing into ISIS-held Fallujah: https://t.co/ca3z8QdknXpic.twitter.com/KKKqbquaH5

— The Hill (@thehill) May 30, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

União Europeia condena lei do Iraque que criminaliza homossexualidade

Um morto e oito feridos em ataque a base militar iraquiana

Estados Unidos lançam ataque maciço contra milícias no Iraque e na Síria