EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Comité Paralímpico da Rússia considera a suspensão dos atletas uma violação de Direitos Humanos

Comité Paralímpico da Rússia considera a suspensão dos atletas uma violação de Direitos Humanos
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Comité Paralímpico da Rússia considera uma violação dos Direitos Humanos o afastamento dos atletas paralímpicos dos Jogos do Rio de Janeiro.

PUBLICIDADE

O Comité Paralímpico da Rússia considera uma violação dos Direitos Humanos o afastamento dos atletas paralímpicos dos Jogos do Rio de Janeiro.

A decisão foi anunciada, este domingo, pelo Comité Paralímpico Internacional.

A Rússia afirmou que vai recorrer da decisão para o Tribunal Arbitral do Desporto.

“Em primeiro lugar, 270 atletas paralímpicos, que nunca cometeram quaisquer violações, são punidos, os seus sonhos são destruídos. Depois vão averiguar se é ou não verdade. É incrível, estou chocado”, disse Vladimir Lukin, o presidente do Comité Paralímpico da Rússia.

Na origem do processo de suspensão volta a estar o escândalo de doping organizado revelado pelo relatório McLaren.

Os cidadãos russos mostram-se indignados: “É claro porque é que isso acontece. Isto é política e é escandaloso quando a política é misturada com outros campos da vida, como a cultura e o desporto. Não podemos fazer nada. Talvez boicotar os Jogos Olímpicos. Pode não ser o mais correto, mas é o que penso que deve ser feito.”

Philip Craven, presidente do Comité Paralímpico Internacional, lamentou que alguns dos atletas que não estão implicados no escândalo saiam prejudicados por causa de outros desportistas, mas afirma que não havia outra opção.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Putin enaltece comércio bilateral no último dia da sua visita à China

Xi Jinping promete a Putin continuar a consolidar "amizade de boa vizinhança"