Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Venezuela e Irão assinam acordos de cooperação

Venezuela e Irão assinam acordos de cooperação
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com Maria Barradas, Lusa, Irna e Reuters

O Irão e a Venezuela assinaram este sábado um conjunto de acordos de cooperação depois da organização de várias mesas de trabalho bilaterais, compostas por representantes de setores como o científico, agroalimentar, energético e petrolífero.

Segundo a agência de notícias Estatal iraniana IRNA, a delegação persa contou com cerca de 120 pessoas, a maioria das quais parte da elite política e económica do país. O grupo concluiu na Venezuela num périplo pela América da Latina, depois de visitar Cuba, Nicarágua, Equador, Chile e Bolívia.

Caracas quer o apoio de Teerão na redução da produção de petróleo, para que os preços voltem a subir de forma consistente. A subida do preço do petróleo é fundamental para a deteriorada economia venezuelana, cujo Governo se diz vítima de “uma guerra económica internacional”.

Têm-se registado problemas de escassez a vários níveis na Venezuela, como na saúde

Os projetos de cooperação assinados pelo Irão e pela Venezuela incluem a participação de empresas iranianas na chamada Agenda Económica Bolivariana, projeto económico destinado a relançar “um novo modelo produtivo” e combater a “guerra económica”.

Durante a sua visita a Caracas, o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Mohamad Javad Zarif, defendeu uma maior aproximação entre as repúblicas Islâmica e Bolivariana:

“A cooperação económica entre ambas nações deve aprofundar-se com a criação de novas estratégias sobre as quais temos que continuar a conversar”, disse Mohamad Javad Zarif.

A assinatura dos acordos teve lugar durante uma cerimónia no palácio presidencial de Miraflores. Os bancos centrais dos dois países assinaram um comunicado conjunto, no qual destacaram a importância do fim das sanções ao Irão.

O presidente Maduro agradeceu o apoio do Irão à Venezuela e disse que o país se caracterizava por ser uma “potência de paz” no Médio Oriente:

“O Irão é uma das potências emergentes mais importantes do século XXI. É uma potência de paz, estabilizadora não só da sua região do mundo, mas do nosso planeta. Tem uma espiritualidade profunda, uma história longa, além de uma diplomacia de paz e cooperação”.

A Venezuela vai assume, pela primeira vez, em setembro, a presidência rotativa do “Movimento de Países Não Alinhados”: , posição atualmente ocupada pelo Irão.