EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Itália: governo nomeia comissário para supervisionar reconstrução após sismo

Itália: governo nomeia comissário para supervisionar reconstrução após sismo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo italiano nomeou um comissário extraordinário para supervisionar a reconstrução da região do centro do país devastada pelo sismo que fez perto de 300 mortos a 24 de…

PUBLICIDADE

O governo italiano nomeou um comissário extraordinário para supervisionar a reconstrução da região do centro do país devastada pelo sismo que fez perto de 300 mortos a 24 de agosto.

Em paralelo, a Justiça tenta compreender por que razão um grande número de edifícios públicos e privados ruiram e se existem eventuais responsáveis.

Gabriele Ponzoni, secretário-geral da Federação Europeia de Geólogos, disse à euronews que “houve um problema estrutural ligado aos edifícios, nalguns casos muito velhos. Outra razão é que se trata de uma área bastante vulnerável, com uma grande exposição ao risco. É preciso realizar uma análise detalhada do solo, fazer um mapa geológico detalhado e analizar as zonas sísmicas”.

Itália tenta aprender com os erros do passado, nomeadamente com o escândalo de subornos associado à reconstrução depois do sismo de Aquila em 2009, tendo escolhido agora para vigiar o processo o ex-presidente da região de Emilia Romagna, com experiência comprovada na matéria.

Questionado sobre a falta de prevenção, Ponzoni diz que se perde “a memória histórica do passado e do que pode voltar a acontecer. E há também um problema político: os políticos só olham para as próximas eleições e um plano caro e de largo prazo não dá resultados imediatos”.

Desde o sismo do dia 24, a região continua a sentir regularmente réplicas: 3400 em oito dias. Uma das prioridades do governo é realojar cerca de 4000 pessoas, que estão provisoriamente abrigadas em tendas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais de 2000 dados como mortos após deslizamento de terras na Papua-Nova Guiné

O que fez colapsar o restaurante Medusa em Maiorca?

Ataques com drones provocam vários incêndios em Kharkiv