A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Angela Merkel defende política migratória face ao avanço da AFD

Angela Merkel defende política migratória face ao avanço da AFD
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O avanço dos populistas alemães não vai alterar a política migratória de Angela Merkel.

A Chanceler reagiu esta segunda-feira aos resultados do sufrágio regional de ontem no estado do Mecklenburgo-Pomerânia Ocidental.

No escrutinio, o partido xenófobo AFD conseguiu pela primeira vez ultrapassar a CDU de Merkel em número de votos, ao ocupar o lugar de segunda força política regional, atrás do SPD.

Merkel assumiu a co-responsabilidade da “derrota”, durante uma conferência de imprensa, após a cimeira do G20 na China.

“O resultado das eleições está ligado à política de refugiados: eu sou a chefe do partido e a Chanceler, é algo indivisível, por isso assumo a responsabilidade destes resultados. Mas penso que as decisões que tomámos foram acertadas e temos que continuar a trabalhar. Temos que refletir na forma como vamos recuperar a confiança da população, a começar por mim”.

O partido AFD, Alternativa para a Alemanha, tinha conseguido obter mais de 20% dos votos, quase dois pontos acima da CDU (19%). A formação tinha igualmente chegado em segundo lugar, desta vez à frente do SPD, no sufrágio realizado na Saxónia-Anhalt em Março.

O avanço da formação, a um ano das legislativas dá asas à co-líder da AFD, Frauke Petry:

“Este resultado é o mais amargo para a CDU – e o próprio partido reconhece-o – uma vez que o estado de Macklenburgo-Pomerânia Ocidental é o bastião político de Merkel. E vamos continuar a trabalhar para que perca todos os seus bastiões”.

O partido aposta no debate criado pela chegada de mais de um milhão de refugiados ao país no ano passado. Mas os estados onde até agora a AFD obteve mais votos, são precisamente aqueles que contam com um menor número de imigrantes.