Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Polónia/Aborto: Manifestantes dizem não ao "fanatismo"

Polónia/Aborto: Manifestantes dizem não ao "fanatismo"
Tamanho do texto Aa Aa

Vestiram-se de preto em sinal de protesto contra a nova proposta de lei que visa proibir o aborto na Polónia, exceto se a vida da mãe estiver em risco. Centenas de pessoas manifestaram-se, este sábado, junto ao Parlamento polaco contra a proposta para regular a interrupção da gravidez que prevê uma pena de prisão para mulheres e os médicos que pode chegar aos cinco anos.

E, muitos, apelam a uma greve das mulheres esta segunda-feira.

Os subscritores da proposta apresentada pelo grupo “Salvem as Mulheres” reuniu 215 mil assinaturas defendem, por exemplo, uma liberalização total até às 12 semanas, mas poucos acreditam que chegue a ver a luz do dia. Desde logo, porque a nova proposta de lei conta com o apoio da Igreja e do partido conservador Lei e Justiça com maioria absoluta no Parlamento.

Semelhante à lei que vigorava em Portugal até há nove anos, a atual legislação polaca data de 1993 e é considerada uma das mais restritivas da Europa. A interrupção da gravidez está prevista em casos de violação, malformações, incesto e risco de vida para a mãe da criança.