Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Primeiro presidente chinês da Interpol inquieta organizações humanitárias

Primeiro presidente chinês da Interpol inquieta organizações humanitárias
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A eleição do novo presidente da Interpol alarma as organizações humanitárias.

Meng Hongwei, vice-ministro da Segurança Pública da China, assumiu esta quinta-feira a liderança da organização policial, ao final de uma assembleia-geral na Indonésia.

Trata-se do primeiro responsável chinês no cargo, quando a Amnistia Internacional recorda a pressão crescente das autoridades de Pequim sobre a Interpol para repatriar centenas de dissidentes no estrangeiro.

O porta-voz da diplomacia chinesa congratulou-se com a escolha de Meng:

“Damos muita importância ao papel importante da Interpol no reforço e na cooperação ao nível da legislação internacional e queremos reforçar ainda mais esta cooperação. A China está pronta a assumir mais responsabilidades e garantir uma maior contribuição nesta área”.

Um dos pontos da agenda do novo presidente vai ser o reforço da cooperação na luta contra o terrorismo, nomeadamente a partilha de dados biométricos de jihadistas. Atualmente a Interpol dispõe apenas de informações sobre 10% dos mais de 15.000 combatentes estrangeiros de grupos islamitas no Médio Oriente.