Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Bulgária: Primeiro-ministro demite-se após derrota nas presidenciais

Bulgária: Primeiro-ministro demite-se após derrota nas presidenciais
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O socialista Rumen Radev venceu a segunda ronda das presidenciais na Bulgária.

No escrutínio de domingo, o candidato da oposição obteve 59,4 por cento dos votos, derrotando a rival, Tsetska Tsacheva, apoiada pelo primeiro-ministro conservador, que não foi além dos 36,2 por cento.

Radev assume, a 22 de janeiro, o cargo de chefe de Estado daquele que é considerado o país mais pobre da União Europeia.

“Entendo que este é o começo da mais importante missão da minha vida. Trabalhar para uma Bulgária segura e próspera, na qual haja unidade e não o ódio do passado”, afirma o presidente eleito.

A Bulgária enfrenta agora uma crise política e institucional.

Tomando o resultado como uma crítica ao Governo, o primeiro-ministro, Boiko Borisov, demitiu-se esta segunda-feira.

“Agora, posso ver os muitos erros que cometemos, mas somos um partido que aprende com os seus erros e os corrige. Quero enfatizar que sempre fomos um partido do povo e posso sentir na minha pela cada uma das pessoas. Com estas eleições, as pessoas disseram-nos que algo não está certo. Elas disseram que as nossas prioridades podem ser boas, mas há outras”, confirma o primeiro-ministro demissionário.

A demissão do Executivo coloca a Bulgária num impasse político. Se nenhum dos três partidos representados na Assembleia Nacional conseguir formar Governo, o ainda presidente, Rosen Plevneliev terá de nomear um Governo de gestão.

Segundo a Constituição, apenas o novo presidente poderá dissolver o Parlamento e convocar eleições antecipadas.