Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Reino Unido inicia 'divórcio' da UE a 29 de março

Reino Unido inicia 'divórcio' da UE a 29 de março
Tamanho do texto Aa Aa

29 de março é o dia em que o Reino Unido vai iniciar formalmente o processo de saída da União Europeia.

Nessa data, dentro de nove dias, Londres irá, por carta, notificar Bruxelas que invoca o artigo 50 do Tratado de Lisboa, desencadeando um processo inédito na história do bloco e cujo resultado permanecerá uma incógnita, pelo menos nos tempos mais próximos.

As negociações entre o Reino Unido e os outros 27 Estados-membros da União Europeia deverão culminar, dentro de dois anos, a 29 de março de 2019 com o reino, unido ou não, a sair do ‘clube’ europeu.

Depois do ‘ping-pong’ legislativo entre a Câmara dos Comuns e a dos Lordes, na semana passada, a rainha Isabel II promulgou a lei que autoriza o governo acionar o processo do “brexit”.

Esta segunda-feira, Londres e Bruxelas confirmaram que o processo irá arrancar oficialmente na quarta-feira da próxima semana.

Downing Street informou que o aviso antecipado da data em que irá iniciar o ‘brexit’ foi feito por uma questão de cortesia.

A Comissão Europeia recebeu a notícia com tranquilidade e afirma ter tudo a postos para iniciar as negociações.

“Fomos informados antecipadamente (da notificação). Estamos prontos para começar as negociações. Estamos à espera da carta, que agora sabemos irá chegar no dia 29. Deste lado, está tudo a postos”, referiu o porta-voz da Comissão, Margaritis Schinas.

No Twitter, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, prometeu apresentar as “linhas mestras” para as negociações no prazo de 48 horas após a notificação formal de Londres.

Nas quatro a seis semanas após a ativação do artigo 50, será convocada uma Cimeira Europeia para adotar “diretrizes” e definir o “mandato legal” da União Europeia para as negociações de saída do Reino Unido.

com agências