EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Procurador argentino maniatado e agredido em escritório de tribunal

Procurador argentino maniatado e agredido em escritório de tribunal
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Fernando Cartasegna foi atacado na sede dos tribunais de La Plata, capital da província de Buenos Aires. Investiga corrupção na polícia.

PUBLICIDADE

Com EFE

Um procurador do Ministério Público argentino foi agredido no seu escritório oficial, em Buenos Aires.

Fernando Cartasegna investiga vários casos de corrupção relacionados com a polícia do país latino-americano.

O ataque ocorreu dias depois de Cartasegna ter denunciado ameaças, segundo a agência noticiosa Efe.

As autoridades argentinas confirmaram que o procurador foi trasladado a um hospital e que a sua saúde não apresenta qualquer risco, ainda que esteja “muito afetado e nervoso.”

Fernando Cartasegna foi agredido no local de trabalho e terá sido atacado pelas costas por alguém que não conseguiu identificar.

Hallan atado en su despacho al fiscal que debe investigar la mafia policial https://t.co/SnkUoKvAOLpic.twitter.com/vtV1SFftab

— Clarín (@clarincom) 4 de maio de 2017

Depois da agressão, o procurador conseguiu fazer um telefonema e pedir ajuda. No escritório, foi encontrado o nome Nisman, escrito sobre uma camada de açucar, lançada para o chão, numa referência ao falecido procurador Alberto Nisman.

Em janeiro de 2015, o procurador de justiça argentino, Alberto Nisman, apareceu morto, dias depois de ter denunciado a então presidente da República argentina, Cristina Fernández de Kirchner, por ter alegadamente protegido os iranianos suspeitos do atentado contra um centro judeu na capital, Buenos Aires.

O ataque teve lugar em 1994 e deixou 85 mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

Argentina fora dos BRICS por decisão de Milei

Manifestação contra Javier Milei reprimida pela polícia argentina