EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Catalunha à procura de apoio na Europa

Catalunha à procura de apoio na Europa
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Catalunha procura aliados na Europa para fazer frente a Madrid, mas não vai poder contar com o apoio das instituições europeias

PUBLICIDADE

O apoio das instituições europeias. É o que pede o responsável das relações exteriores do executivo catalão na contagem decrescente para o referendo sobre a independência na Catalunha. Em Bruxelas, Raul Romeva alertou para a importância da consulta popular agendada para domingo e para a pressão exercida por Madrid.

“Não é a logística que está em causa. Não se trata do material nas assembleias de voto, mas da credibilidade democrática. O problema não se prende com o facto de as pessoas irem ou não votar porque é evidente que vão votar. As pessoas pedem para votar e estão determinadas a exercer esse direito. A questão é como, porquê e quais as consequências associadas ao que o Governo espanhol está a fazer para impedir que isso aconteça” refere Raul Romeva, responsável das relações exteriores do executivo catalão. As instituições europeias recusam compactuar com o que chamam de “ilegalidade.”

“É claro que Espanha tem um conjunto de regras e uma Constituição. E, de acordo, com a Constituição este referendo é ilegal, não respeita as regras da Carta Magna. Por isso, faz mais sentido não realizar este referendo nestas condições e voltar à mesa das negociações, do que avançar unilateralmente e realizar uma consulta que sabemos à partido ser ilegal” afirma Esther de Lange do Parlamento Europeu.

Ilegal ou não, as autoridades catalãs estão decididas a avançar o referendo sobre a independência da Catalunha.

Ana Lazaro, euronews: “O referendo catalão não conta com o apoio de Bruxelas. A Europa prepara-se para assistir a um ato de desobediência civil, este domingo, no coração de um dos Estados membros.”

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Justiça belga deixa prosseguir encontro dos populistas em Bruxelas

75 anos da NATO: Ucrânia foi à festa em Bruxelas mas levou pedido - mais mísseis Patriot

NATO investe mais de mil milhões de euros em munições de artilharia