Rajoy: "Não houve referendo"

Rajoy: "Não houve referendo"
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

“Hoje não houve um referendo de autodeterminação”, disse Rajoy, sem referir os mais de 700 feridos em resultado das ações policiais na Catalunha

PUBLICIDADE

Hoje não houve nenhum referendo na Catalunha, segundo o presidente do governo de Espanha.

Hoje não houve nenhum referendo de autodeterminação na Catalunha, segundo o presidente do governo de Espanha.

Poucos minutos depois do encerramento das urnas na região autónoma, Mariano Rajoy comentou a situação no Palácio da Moncloa, em Madrid. Para dizer que a “grande maioria” dos catalães recusou participar “no guião dos separatistas” e agradecer à Polícia Nacional e à Guardia Civil, que “cumpriram a sua obrigação”, sem qualquer referência aos feridos nas cargas policiais na Catalunha:

“O referendo que pretendia liquidar a Constituição espanhola e tornar independente uma parte do nosso país sem contar com a opinião do conjunto dos espanhóis, simplesmente não existiu.
Somos o governo de Espanha e eu sou o presidente do governo de Espanha, e assumi a minha responsabilidade. Cumprimos o nosso dever. Atuámos, como disse desde o início, de acordo com a lei e apenas com a lei e ficou demonstrado que o nosso Estado democrático tem recursos para se defender de um ataque tão grave como aquele que este referendo ilegal tentou realizar.
Afirmo-o com toda a clareza e não vou encerrar nenhuma porta, o que nunca fiz. Não é a minha maneira de fazer política, propus sempre um diálogo honesto e sincero, contudo sempre dentro da legalidade e no contexto da democracia.”

Mariano Rajoy anunciou que pretende convocar todas as forças políticas com representação parlamentar para refletir sobre a questão catalã.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Por que razão Espanha é dos poucos na UE a apoiar a Palestina?

Amnistia de Sánchez leva mihares de pessoas em protesto às ruas de Madrid

Oposição condena acordo de Sánchez e Puigdemont sobre amnistia a separatistas catalães