Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Impasse eleitoral nas Honduras

Impasse eleitoral nas Honduras
Tamanho do texto Aa Aa

O resultado incerto das presidenciais nas Honduras volta a inflamar a tensão no pequeno país da América Central, oito anos após o golpe militar que derrubou o então presidente Manuel Zelaya.

Esta manhã os dois principais candidatos ao sufrágio clamavam vitória na ausência de resultados oficiais, a começar pelo chefe de Estado cessante, Juan Orlando Hernández.

O líder conservador do Partido Nacional tinha anunciado a vitória durante a madrugada, quando a oposição denuncia a ilegalidade da sua recandidatura, à luz da Constituição, mesmo depois de ter sido autorizada pelo Tribunal Constitucional do país.

O seu principal rival, Salvador Nasralla, líder de uma coligação de esquerda batizada Aliança da Oposição contra a Ditadura, contestou o resultado esta manhã, anunciando-se igualmente como vencedor.

Uma sondagem à boca das urnas dava ao presidente cessante 43,93% dos votos contra 34.70% para o seu rival, embora Nasralla conte com uma vantagem de 5% sobre o adversário na contagem de votos (60% dos votos contados).

O ex-presidente Manuel Zelaya, o principal apoio do opositor, reconheceu igualmente a vitória de Nasralla nas redes sociais.

O impasse atual não causou até ao momento qualquer incidente quando o governo mobilizou mais de 35 mil polícias para acompanhar o sufrágio.

Mais de 16 mil observadores internacionais acompanharam o escrutínio no país com uma das maiores taxas de homicídio no mundo e cujo presidente cessante era um aliado dos EUA na luta contra o tráfico de droga na região.