A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Arcebispo de Kinshasa diz que repressão na RDC foi "uma barbárie"

Arcebispo de Kinshasa diz que repressão na RDC foi "uma barbárie"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O líder da Igreja Católica na República Democrática do Congo condena as mortes dos que protestaram contra o presidente Joseph Kabila no passado domingo. 

Para o Arcebispo de Kinshasa, o Cardeal Laurent Monsengwo, não há outra opção a não ser a denuncia de quem "provoca a barbárie".

As forças de segurança da RDC deixaram 12 mortos durante a violenta repressão de marchas, organizadas por grupos católicos. 

Os agentes entraram em igrejas, interromperam missas, espancaram fiéis e dispersaram manifestantes .

A população exige que Joseph Kabila abandone o cargo e que seja aplicado um acordo do final de 2016, que previa a realização de eleições no ano passado. 

A Constituição da RDC impede que o presidente se recandidate. Kabila ocupa o poder desde janeiro de 2001. O pai, o então presidente Laurent-Désiré Kabila, foi assassinado durante a guerra civil.