A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Morreu a mulher que terá estado exposta ao agente neurotóxico novichok

Morreu a mulher que terá estado exposta ao agente neurotóxico novichok
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Morreu a mulher que terá estado em contacto com o agente neurotóxico novitchok em Amesbury, no sudoeste de Inglaterra.

Dawn Sturgess, de 44 anos. Sturgess passou mais de uma semana internada.

A notícia foi avançada pela Scotland Yard. Charlie Rowley, a segunda vítima, de 45 anos, permanece internado em estado crítico.

Ambos foram encontradoa no final do mês passado com os sintomas associados ao contacto com o agente na residência social onde vivia Rowley.

De acordo com as autoridades britânicas, as análises levadas a cabo permitiram concluir que tinham sido contaminados com um agente do tipo novitchok, que Londres afirma ter sido utilizado num alegado ataque em Salisbury, no início de março, contra um antigo agente russo e a filha, Sergei e Yulia Skripal.

Para o Reino Unido, o Kremlin é responsável por ambos os casos.

Os testes realizados a Sturgess e Rowley indicam que terão sido infetados ao tocar em objetos contaminados com o agente neurotóxico. Até agora, no entanto, não há provas de que nem Sturgess nem Rowley tenha estado em lugares onde foi aplicado um protocolo de desintoxicação, de acordo com a polícia.

A polícia britânica quer entender como poderão as vítimas ter estado em contacto com novitchok. Na investigação participam cerca de 100 agentes e peritos da unidade anti-terrorismo.

O novitchok foi desenvolvido pela então União Soviética durante a guerra fria. O Kremlin nega qualquer envolvimento.