Última hora

Última hora

Crianças enfrentam maiores riscos com desastre na Indonésia

Em leitura:

Crianças enfrentam maiores riscos com desastre na Indonésia

Crianças enfrentam maiores riscos com desastre na Indonésia
Tamanho do texto Aa Aa

O sismo de 7,5 na escala de Richter e o tsunami que se seguiu já provocaram a morte a pelo menos 832 pessoas na Indonésia, mas os números poderão ser ainda mais negros, face à destruição no país.

No entanto, a preocupação centra-se agora nos efeitos sobre as crianças, especialmente vulneráveis a catástrofes naturais desta dimensão.

Em entrevista ao programa Good Morning Europe, da Euronews, Tom Howells, porta-voz da organização não governamental (ONG) Save the Children fez uma análise sombria das consequências do sismo e do tsunami na Indonésia.

"Estimamos que cerca de 1 milhão e meio de pessoas estão na região envolvente da área que foi afetada pelo sismo e pelo tsunami, e pensamos que aproximadamente 500 mil dessas pessoas terão sido gravemente afetadas. O principal desafio agora é conseguir ter acesso a essas pessoas. Por isso, estamos muito preocupados com certos locais, como Dongala, que não soubemos muita coisa nas últimas 48 horas. E ainda ouvimos relatos de deslizamentos de terra num lugar chamado Sigi, também estamos muito preocupados com isso."

Confrontado com os riscos particularmente gravosos que os mais novos enfrentam num cenário de destruição e falta de assistência, o porta-voz da ONG assumiu que a situação é preocupante.

"Por um lado, estamos preocupados com o elemento psicológico, como o facto de que as crianças possivelmente viram as suas casas destruídas. Elas viveram uma série de traumas e então haverá muito medo, muita angústia. Além disso, recebemos informações de que há crianças que foram separadas das famílias. Isto é muito preocupante. As nossas equipas estão no terreno e vão trabalhar com o governo e outros agentes para tentar garantir que as crianças voltam a ser reunidas com os seus pais", concluiu.