Última hora
This content is not available in your region

Contra sanções dos EUA, iranianos celebram aniversário da "crise dos reféns"

euronews_icons_loading
Contra sanções dos EUA, iranianos celebram aniversário da "crise dos reféns"
Tamanho do texto Aa Aa

Numa altura em que as relações entre os Estados Unidos e o Irão voltam a degradar-se, com o regresso das sanções anunciado por Donald Trump e o rasgar do acordo sobre a energia nuclear, milhares de pessoas saíram à rua para festejar o aniversário do acontecimento que viria a definir as relações entre os dois países até hoje:

Foi há 39 anos - novembro de 1979 - que aconteceu o assalto à embaixada norte-americana em Teerão por parte de um grupo de estudantes e a tomada de reféns, que viria a durar 444 dias. Aconteceu pouco depois da Revolução Islâmica que depôs o Xá e colocou no poder o aiatola Khomeni.

Na sexta-feira, a administração Trump anunciou o regresso das sanções ao Irão, nos setores financeiro, energético e de exportação. é o segundo pacote de sanções a ser restaurado.

"Sempre houve sanções e estamos habituados a elas. Quanto mais duras são, mais resistentes nos tornamos. O povo iraniano vai provar que é leal ao Líder Supremo e que não o vai abandonar", diz uma manifestante.

O regresso das sanções aconteceu depois de, em maio, Trump ter tirado os Estados Unidos do acordo sobre a energia nuclear iraniana, que tinha sido aprovado pelo antecessor, Barack Obama.

Foi com esta paródia à série "Game of Thrones" que Trump anunciou, no Twitter, o regresso das sanções ao Irão.