Última hora

Última hora

Morreu Loureiro dos Santos, ex-ministro da Defesa e CEME (1936-2018)

Em leitura:

Morreu Loureiro dos Santos, ex-ministro da Defesa e CEME (1936-2018)

Loureiro dos Santos, em 2013, num jantar de oficiais em Lisboa
@ Copyright :
LUSA/ MÁRIO CRUZ
Tamanho do texto Aa Aa

O general José Loureiro dos Santos, antigo ministro da Defesa Nacional e ex-Chefe do Estado-Maior do Exército, morreu este sábado em Lisboa, aos 82 anos, vítima de doença, disse à agência Lusa fonte da família.

"Teve uma destacada e reconhecida participação na vida pública portuguesa, com uma contribuição muito relevante para a consolidação da Democracia"

Marcelo Rebelo de Sousa Presidente da República Portuguesa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, lamentou a perda, sublinhando a contribuição do general para a democracia em Portugal.

“O general Loureiro dos Santos teve uma destacada e reconhecida participação na vida pública portuguesa, com uma contribuição muito relevante para a consolidação da Democracia”, refere Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota publicada na página oficial da Presidência da República.

Marcelo Rebelo de Sousa lembra ainda o general como um homem dotado de “uma excecional inteligência e vasta experiência académica”, além de ser “detentor de um pensamento inovador nos conceitos de estratégia e defesa nacional, sendo considerado um dos mais notáveis militares da sua geração e o grande mestre da moderna escola de estratégia em Portugal”.

Na nota, o Presidente da República refere ainda que Loureiro dos Santos foi condecorado várias vezes pelo Estado português, tendo este ano sido agraciado com a Grã-Cruz da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada por Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República enviou as “mais sentidas condolências à família, aos amigos e às Forças Armadas”.

O primeiro-ministro, António Costa, também expressou o "profundo pesar" pela morte de Loureiro dos Santos, enaltecendo a "marca indelével na construção e consolidação" da democracia portuguesa deixada pelo antigo ministro.

"O general Loureiro dos Santos deixou uma marca indelével na construção e consolidação da nossa democracia", vincou o também secretário-geral do PS, que falava aos jornalistas antes de um almoço com militantes socialistas, em Coimbra.

António Costa salientou o facto de o general, já depois de ter terminado a sua prestação de serviço, ter prosseguido com "uma reflexão sempre muito ativa, muito inteligente, muito informada sobre a inserção geoestratégica de Portugal".

"Deu grandes contributos para a definição da nossa política externa e agora deixa-nos com muita saudade", disse o primeiro-ministro.

Nascido em Vilela do Douro, concelho de Sabrosa, no distrito de Vila Real, em 02 de setembro de 1936, José Alberto Loureiro dos Santos foi ministro da Defesa Nacional entre 1978 e 1980 nos IV e V Governos Constitucionais, chefiados por Carlos Mota Pinto e Maria de Lourdes Pintasilgo, ambos executivos de iniciativa presidencial de Ramalho Eanes.

Militar do ramo de artilharia, Loureiro dos Santos foi vice-Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, em 1977, e Chefe do Estado-Maior do Exército.

O corpo do general Loureiro dos Santos vai estar em câmara ardente na capela da Academia Militar, em Lisboa, a partir das 15:00 de domingo, disse à agência Lusa fonte familiar.

O funeral será realizado na segunda-feira, pelas 11:00, no cemitério de Carnaxide.