Xi Jinping pela primeira vez em Portugal para aproximar China da Europa

Xi Jinping e a primeira dama Peng Liyuan a caminho de Lisboa
Xi Jinping e a primeira dama Peng Liyuan a caminho de Lisboa Direitos de autor Borja Puig de la Bellacasa/Moncloa via REUTERS/ Arquivo
Direitos de autor Borja Puig de la Bellacasa/Moncloa via REUTERS/ Arquivo
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O ministro português do Ambiente e da Transição Energética salienta importância do investimento chinês na concretização do objetivo da neutralidade de CO2 em 2050

PUBLICIDADE

Portugal pretende aproveitar ao máximo a primeira visita oficial ao país de Xi Jinping. A primeira visita do atual Presidente da China será aproveitada pelo Governo português para aprofundar a cooperação ambiental com um dos mais importantes parceiros no setor energético.

Após ter participado na Argentina na reunião do G-20, Xi Jinping aproveitou a viagem a Buenos Aires para realizar escalar oficiais em Espanha, ainda antes da cimeira, no Panamá e em Portugal, onde o cal é esperado esta tarde.

Numa entrevista concedida ao canal China Central Television (CCTV) a propósito desta primeira visita oficial do Presidente chinês a Portugal, o ministro português do Ambiente e da Transição Energética prometeu que o executivo de António Costa vai "fazer tudo pelo sucesso desta visita."

"Precisamos de investidores, de dinheiro e de soluções para conseguirmos a neutralidade em CO2 até 2050. Como temos corrido mais do que os outros, estamos no comboio da frente com vista à neutralidade no carbono", afirmou João Matos Fernandes, numa entrevista concedida em inglês a uma jornalista chinesa.

O ministro português salientou ainda "a força do compromisso chinês no combate às alterações climáticas" que tem vindo a notar em cada COP, as cimeiras do ambiente promovidas pelas Nações Unidas.

Na preparação desta primeira visita a Portugal, Xi Jinping escreveu uma carta aberta aos portugueses, publicada no domingo pelo Diário de Notícias.

O presidente chinês destacou sobretudo o projeto "Uma Faixa, uma Rota", com o qual pretende reforçar a ligação comercial do sudeste da Ásia à Europa, uma iniciativa já rejeitada pela Espanha com a justificação de a União Europeia ter já em curso um projeto similar nos corredores euro-asiáticos.

Portugal pretende atrair investimento chinês também para alguns dos principais portos de águas profundas nacionais como o de Sines ou o da Praia Vitória, na Terceira, Açores, de onde os Estados Unidos têm vindo a desmobilizar a histórica presença militar.

Na carta aos portugueses, o líder chinês sublinhou ainda a importância de desenvolver a cooperação comercial com Portugal e o reforço do multilateralismo por oposição ao protecionismo advogado por Donald Trump.

A coordenação com o governo português no combate às alterações climáticas também está na agenda de Xi Jinping.

A convite do homólogo Marcelo Rebelo de Sousa, Xi Jinping é recebido esta terça-feira à tarde no Palácio de Belém, em Lisboa, depois de uma cerimónia de boas vindas, com Honras Militares, diante do Mosteiro dos Jerónimos.

Na residência oficial do Presidente da República está previsto um encontro entre os dois chefes de Estado, que será alargado às respetivas delegações. Os dois líderes falam no final aos jornalistas.

À noite, no Palácio Nacional da Ajuda, está marcado um jantar oficial oferecido por Marcelo Rebelo de Sousa "em honra do Presidente da República Popular da China, Xi Jinping, e Senhora Peng Liyuan", lê-se na página da Presidência da República Portuguesa.

Na quarta-feira, está marcada a visita do l´ider chinês à Assembleia de República, seguida de uma receção pelo primeiro-ministro António Costa no Palácio Nacional de Queluz, onde serão assinados alguns acordos entre os dois executivos antes de um almoço oferecido pelo chefe de governo português ao Presidente da China.

Outras fontes • CCTV, Reuters, Lusa

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Portugal e China assinam 17 acordos de cooperação

China promete mais cooperação com Portugal

Três alemães detidos por suspeitas de espiarem para a China