EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Gás lacrimogéneo em protesto contra lei laboral

Gás lacrimogéneo em protesto contra lei laboral
Direitos de autor REUTERS/Bernadett Szabo
Direitos de autor REUTERS/Bernadett Szabo
De  Rodrigo Barbosa com EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Protesto em Budapeste contra nova lei do trabalho húngara termina em confrontos entre manifestantes e forças da ordem

PUBLICIDADE

Um protesto, em Budapeste, contra a polémica lei do trabalho aprovada pelo parlamento húngaro, terminou com confrontos entre um milhar de manifestantes e as forças da ordem, que recorreram a gás lacrimogéneo.

Entre os aspetos mais controversos da legislação está o aumento do número de horas extra autorizadas por ano de 250 para 400.

Miklós Hajnal, porta-voz do Movimento Momentum, diz que "o parlamento pôs praticamente o último prego no caixão da democracia, foi o último passo na construção de um Estado unipartidário".

O protesto, que começou às portas do parlamento, seguiu caminho em direção à sede da formação governante, o partido conservador nacionalista Fidesz.

O correspondente da euronews, Dániel Bozsik, diz que "os manifestantes contra a [apelidada de] 'lei da escravatura' desfilaram pela cidade, bloqueando estradas e pontes pelo caminho, até à sede do Fidesz, onde duas jovens conseguiram subir até à varanda para brandir as bandeiras da União Europeia e Hungria".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

"Lei da escravatura" leva húngaros de volta às ruas

Reforma laboral e na justiça da Hungria agrava protestos

Boicote a Budapeste: oposição húngara diz que ninguém se quer sentar à mesa com Orbán