Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Gás lacrimogéneo em protesto contra lei laboral

Gás lacrimogéneo em protesto contra lei laboral
Direitos de autor
REUTERS/Bernadett Szabo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um protesto, em Budapeste, contra a polémica lei do trabalho aprovada pelo parlamento húngaro, terminou com confrontos entre um milhar de manifestantes e as forças da ordem, que recorreram a gás lacrimogéneo.

Entre os aspetos mais controversos da legislação está o aumento do número de horas extra autorizadas por ano de 250 para 400.

Miklós Hajnal, porta-voz do Movimento Momentum, diz que "o parlamento pôs praticamente o último prego no caixão da democracia, foi o último passo na construção de um Estado unipartidário".

O protesto, que começou às portas do parlamento, seguiu caminho em direção à sede da formação governante, o partido conservador nacionalista Fidesz.

O correspondente da euronews, Dániel Bozsik, diz que "os manifestantes contra a [apelidada de] 'lei da escravatura' desfilaram pela cidade, bloqueando estradas e pontes pelo caminho, até à sede do Fidesz, onde duas jovens conseguiram subir até à varanda para brandir as bandeiras da União Europeia e Hungria".