Última hora

Parlamento grego aprova primeiro orçamento pós-resgate

Parlamento grego aprova primeiro orçamento pós-resgate
Direitos de autor
REUTERS/Alkis Konstantinidis
Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento grego aprovou o Orçamento para 2019, o primeiro desde que o país deixou de estar sob a tutela estrita dos credores ao abrigo do programa de resgate da União Europeia e do Fundo Monetário Internacional.

O primeiro-ministro Alexis Tsipras afirma que "no fim de 2018, o país vai completar dois anos de crescimento positivo, 1,5 por cento no ano passado e mais de 2 por cento este ano. E espera-se que seja ainda maior no próximo ano".

O voto ocorreu num clima de forte tensão entre a formação de Tsipras e o principal partido da oposição de direita, Nova Democracia, que acusa o governo de piorar a vida dos gregos.

Kyriakos Mitsotakis, líder do Nova Democracia, diz que "o que fica é uma vigilância reforçada cada três meses, que não existe nos programas de nenhum outro país, e, infelizmente, compromissos insuportáveis para os excedentes primários. Trata-se de um quarto programa de resgate não oficial".

No exterior do Parlamento, sindicatos gregos manifestavam-se com a mensagem de que, para eles, a austeridade ainda não acabou.

A correspondente da euronews, Nikoleta Drougka, afirma que "apesar de existirem algumas medidas positivas no Orçamento para 2019, que não inclui mais reduções nas pensões, os sindicatos não estão contentes, afirmando que os impostos ainda representam um enorme peso para os trabalhadores. Pedem melhores salários e mais investimento na saúde e na educação".

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.