A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Carlos Ghosn diz que foi vítima de conspiração

Carlos Ghosn diz que foi vítima de conspiração
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Carlos Ghosn, o homem que foi considerado uma estrela do setor automóvel diz-se vítima de um "complô" e de "traição" que levaram à sua prisão.

Numa entrevista ao jornal "Nikkei", a partir do centro de detenção de Tóquio onde o ex-presidente da aliança Renault-Nissan-Mitsubishi aguarda julgamento, fez as declarações polémicas. E apontou culpados. Revelou que os executivos da Nissan, que se opunham a uma maior integração com a Renault, orquestraram tudo.

Alega que discutiu os planos com Hiroto Saikawa, presidente-executivo da Nissan para integrar as empresas e que este se opôs ao envolvimento do presidente da Mitsubishi Motors nas negociações. Tudo aconteceu, diz Ghosn, em setembro, dois meses antes de ser preso.

Detido a 19 de novembro, é acusado de ocultar alegadas compensações económicas milionárias acordadas com a Nissan e de se servir da empresa para cobrir perdas financeiras pessoais.

A estação de televisão NHK noticiou, entretanto, que Hiroto Saikawa conta falar com o novo presidente da Renault, Jean-Dominique Senard, à margem de um encontro da aliança na Holanda.