Última hora

Última hora

Tesoureiro do Vaticano condenado por abusos sexuais de menores

Cardeal George Pell condenado por abusos sexuais de menores
Cardeal George Pell condenado por abusos sexuais de menores -
@ Copyright :
REUTERS/STRINGER
Tamanho do texto Aa Aa

As condenações por abusos sexuais de menores chegaram à cúpula do Vaticano. O Cardeal George Pell, tesoureiro da Santa Sé e ex-conselheiro do Papa Francisco, foi considerado culpado de cinco crimes de delitos sexuais contra dois meninos de coro de 13 anos.

Crimes cometidos há mais duas décadas.

O julgamento no tribunal de Victoria, em Melbourne, foi seguido atentamente por várias vítimas de abusos.

Michael diz que "a Igreja precisa de calar a boca e chegar-se à mesa com um cheque chorudo porque há 60 mil vítimas de abuso sexual e há aproximadamente 43 mil católicos. Parem o nosso sofrimento. Estamos fartos disso."

Um apoiante do cardeal Pell, Peter Westmore, continua a acreditar na inocência do clérigo e considera que "a mente do público foi tão contaminada pelos erros da igreja católica e pelas queixas das pessoas, com as quais não se lidou, que disseram: bem ele deve ter sido culpado."

Já Vivian Waller, advogada de uma vítima de abusos sexuais, leu a declaração do seu cliente onde este escreveu: "Como muitos sobreviventes, tenho vivido vergonha, depressão e luta pela solidão. Como muitos sobreviventes, levei anos para entender o impacto na minha vida."

O cardeal Pell, de 77 anos, ex-número três do Vaticano, torna-se assim o clérigo católico mais importante do mundo a ser condenado por crimes sexuais contra menores. Crimes que o próprio negou, numa conferência de imprensa, no Vaticano, há dois anos.

Falta conhecer a sentença ao cardeal, mas é quase certo que terá pena de prisão efetiva.