A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Não vejo nenhuma razão para prolongar a data"

"Não vejo nenhuma razão para prolongar a data"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A derrota do acordo de Theresa May teve a atenção não só dos britânicos mas também do mundo político europeu.

As reações vão chegando e, em Bruxelas, Michel Barnier, negociador-chefe para o Brexit, pediu clareza a londres.

"Reino Unido, é da vossa responsabilidade dizerem o que querem para o nosso futuro relacionamento. Qual é a vossa escolha? - E esta é uma questão que surge mesmo antes de uma decisão sobre uma possível extensão. Prolongar essa negociação para quê? Dado que a negociação sobre o artigo 50 terminou?", perguntou Barnier.

Ainda faltam algumas horas para se saber se May vai pedir uma extensão da data ou não, tudo depende do resultado da votação desta noite, na Câmara dos Comuns.

Guy Verhofstadt, o negociador do Parlamento Europeu para o Brexit, diz que não vê o porquê de se pedir uma extensão da data de negociação.

"Não vejo nenhuma razão para prolongar a data, em primeiro lugar, não sabemos qual é a posição maioritária da Câmara dos Comuns. Porque é que deveríamos dar uma pequena extensão, se não houver uma posição clara da Câmara dos Comuns? Não acho que alguém da União europeia queira realmente entrar numa discussão sobre um prolongamento da data se antes não houver uma posição clara da Câmara dos comuns.", admitiu Guy Verhofstadt, à saída do parlamento.

Nigel Farage, político britânico e membro do parlamento europeu, defende uma saída sem acordo a 29 de março.

"Já estamos fartos! Já vimos a raiva do nosso vizinho Verhofstadt, a intransigência bélica de Barnier, o fluxo constante de insultos que vêm do Senhor Tusk e nós somos de uma só opinião. Não queremos ser governados por vocês!", disse Nigel Farage.

O acordo que saiu da reunião entre Theresa May e Junker morreu na praia. Esta noite é votado no parlamento britânico uma saída sem acordo do Reino Unido da União Europeia. Só com o resultado na mão é que se saberá qual o próximo passo deste divórcio.